COTAÇÃO DE 22/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,3030

VENDA: R$5,3040

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3100

VENDA: R$5,4600

EURO

COMPRA: R$6,1939

VENDA: R$6,1967

OURO NY

U$1.768,10

OURO BM&F (g)

R$301,58 (g)

BOVESPA

+1,84

POUPANÇA

0,3012%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Negócios zCapa

Produto com diferencial é vantagem no mercado chinês

COMPARTILHE

Os empresários brasileiros precisam investir em marketing na China | Crédito: Divulgação

O Brasil assiste a uma abertura de porteiras do mercado chinês: nos últimos meses, a gigante da economia mundial passou a importar leite em pó, queijo, iogurte e carnes do produtor brasileiro. Mas, para o especialista em mercado chinês e CEO da Serpa China, Ian Lin, o empresário no Brasil precisará de mais do que apenas portas abertas para se consolidar na China. Para ele, o segredo está em um produto diferenciado, bom networking com as distribuidoras e investimento em marketing.

Lin tem mais de 20 anos de experiência em relações comerciais e culturais entre Brasil e China e, atualmente, está à frente da Serpa China, braço do grupo mineiro Serpa, que tem sede em Belo Horizonte. A empresa atua no continente asiático como uma consultoria de negócios que ajuda empresas brasileiras, argentinas e norte-americanas a criarem conexões com o mercado chinês.

PUBLICIDADE

O executivo afirma que entender a cultura de negócios na China é um dos primeiros passos para que o empresário brasileiro seja bem recebido nesse mercado. Ele explica que o distribuidor chinês não vai aceitar testar a venda de produtos brasileiros sem saber, ao certo, o retorno que ele terá.

Segundo o CEO, é muito comum empresários brasileiros fazerem propostas como deixar o produto na China sem prazo para receber o pagamento ou, ainda, propor grandes comissões. Mas, Lin afirma que na China não funciona assim. O brasileiro não convencerá o chinês sem provas de que seu produto tem potencial.

“Muitos brasileiros me perguntam como atrair o investimento chinês, mas a pergunta está errada. Para eles é como se você estivesse perguntando ‘como consigo tirar ou roubar dinheiro deles?’ O empresário tem que ir para o mercado chinês fazendo outras perguntas, como: ‘como eu posso melhorar a vida do cidadão chinês?’ ou ‘como eu posso oferecer algo que deixará suas crianças ou seus idosos mais felizes?’”, afirma.

Para o executivo, há, ainda, outros três requisitos que o empresário brasileiro precisa cumprir para ter lucro no mercado chinês. O primeiro deles é oferecer um produto diferente. “Nem estou dizendo melhor. O que ele precisa mesmo é ter algum diferencial para alcançar o consumidor chinês que é impactado por muitas marcas”, diz.

O segundo requisito é conhecer a distribuidora certa e que seja do seu ramo. Lin destaca que isso vai fazer grande diferença em relação ao networking e relacionamento no mercado chinês. Por fim, o executivo afirma que esse empresário precisará de dinheiro para investir em marketing.

“A China é um mercado muito grande. Se a marca simplesmente exportar e não for divulgada ela vai ficar escondida. Só enxergarão a marca que fizer marketing, patrocinar eventos locais e se expor”, alerta.

Riscos – Outro assunto que precisa estar no radar dos empresários brasileiros que pretendem fazer negócios na China é o risco de apostar em qualquer fabricante chinesa. De acordo com o CEO, é muito comum brasileiros visitarem o país em missões ou feiras e fechar contratos com empresas sem fazer muitas pesquisas sobre elas.

“Eles entram no site, veem uma boa apresentação e acreditam porque no site todo mundo é grande. Alguns ainda visitam as instalações da fábrica, mas não comprovam a idoneidade. O que acontece é que muitos brasileiros entregam o dinheiro nas mãos dos chineses, fecham os olhos e torcem para que tudo chegue corretamente. É uma política de faroeste”, comenta.

Lin afirma que foi justamente para ajudar empresários de outros países interessados na política comercial com a China que a Serpa criou um sistema de raio X do mercado chinês. A ferramenta busca informações aprofundadas sobre as fornecedoras chinesas de qualquer segmento.

Ela é capaz de levantar informações como quem são os diretores daquele negócio, quanto tempo tem de operação, se tem problemas judiciais, quantas vezes já importou ou exportou, entre outros dados úteis. A ferramenta pode ser contratada como serviço da Serpa China.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!