Foco da Inter Construtora é no segmento de habitação popular | Crédito: Divulgação

Mesmo diante do cenário desafiador imposto pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) em todo o Brasil, a Construtora e Incorporadora Inter, sediada em Juiz de Fora, na Zona da Mata, segue com os negócios aquecidos.

Nos últimos três meses, lançou quatro empreendimentos, com Valor Geral de Vendas (VGV) estimado em R$ 380 milhões. O mais recente deles será construído em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, com VGV de R$ 60 milhões.

As informações são do gerente de marketing da Inter, Pedro Alvarenga. Segundo ele, a empresa atua na incorporação e construção de empreendimentos verticalizados, com total foco em pequenos prédios residenciais no segmento de habitação popular, enquadrados no programa do governo federal “Minha casa, minha vida” (MCMV) faixas 1,5; 2 e 3.

Assim, a Inter totaliza 2 mil apartamentos lançados apenas no período da pandemia no País. Em Uberlândia, serão 360 unidades populares. Além disso, já foram anunciados outros 440 de médio padrão, em Juiz de Fora, com VGV de R$ 130 milhões; 1.080 do segmento popular, também em Juiz de Fora, com VGV de R$ 160 milhões; e, o restante, em São José do Rio Preto (SP), com VGV de R$ 30 milhões.

O empreendimento de Uberlândia marca a chegada da construtora na cidade e deverá ficar pronto no último trimestre de 2022. Trata-se de um condomínio vertical de 360 unidades, com dois dormitórios, distribuídos em duas torres, na região central da cidade, batizado de Park Martins. A escolha pela cidade, conforme Alvarenga, levou em conta aspectos econômicos e localização geográfica.

“Já atuamos na região, com empreendimentos em Uberaba e em São José do Rio Preto. Em Uberlândia, especificamente, demos início às vendas deste empreendimento e, em apenas alguns dias, já percebemos o sucesso das unidades, graças aos diferenciais do projeto. Temos outros terrenos na cidade e prospectamos outros condomínios a serem lançados a partir do ano que vem. Os projetos estão em processo de análise e aprovação e poderemos chegar a 5 mil apartamentos”, revelou.

O gerente de marketing avaliou que as unidades de dois quartos estão no ranking dos lançamentos de construtoras e incorporadoras, independente da classe social do cliente. Isso porque a tendência está ligada a mudança no perfil das famílias, que estão cada vez enxutas. “Também tem muita gente morando sozinha, como estudantes ou solteiros e divorciados”, citou.

Ele disse ainda que os efeitos do novo coronavírus não atingiram fortemente os lançamentos e a comercialização dos empreendimentos. A justificativa está na digitalização que já era encontrada nos processos da construtora.

Por outro lado, o ritmo das obras teve que mudar, em virtude do atraso na entrega de alguns insumos, do afastamento de alguns profissionais como medida de segurança e alterações na rotina dos canteiros de obras.

“Conseguimos fazer o processo de análise e venda 100% digital e todas as recomendações sanitárias do sindicato e das autoridades estão sendo seguidas, de maneira a não expor nem o cliente nem o funcionário”, concluiu

IPO – A Inter Construtora e Incorporadora informou ontem que está avaliando realizar uma oferta pública de de ações.

“Para tanto, a companhia informa que engajou Itaú BBA e Caixa Econômica Federal para a prestação de serviços de assessoria financeira (…) bem como assessores legais para definição da viabilidade e dos termos da potencial transação”, afirmou a construtora por meio de fato relevante.

Listada há pouco mais de dois anos no Bovespa Mais, segmento de acesso da bolsa paulista, a construtora tem sede em Minas Gerais. (Com informações da Reuters)