A Intelbras, líder no setor de segurança eletrônica na América Latina, tem uma linha de produção em Santa Rita do Sapucaí | Crédito: Divulgação/Intelbras

A Intelbras, líder no setor de segurança eletrônica na América Latina, e com planta no Vale da Eletrônica, em Santa Rita do Sapucaí, desenvolveu e aprimorou produtos que auxiliam no combate à disseminação do novo coronavírus. Entre as ferramentas, a câmara térmica (que permite medir temperatura e verificação o uso de máscaras) e o reconhecimento fácil, que além de evitar o contato físico das pessoas com o dispositivo, também afere a temperatura corporal.

De acordo com o diretor de Controle de Acesso da Intelbras, responsável pela unidade mineira, Paulo Daniel Correa, as soluções já têm sido adotadas por empresas e órgãos públicos em todo o País, como o Aeroporto Internacional de Florianópolis, uma rede de supermercados em São Paulo, e a mineradora Vale.

Câmeras térmicas – No caso do Aeroporto de Florianópolis, por exemplo, foi adotado o uso de câmeras térmicas. A câmera identifica e gera alertas de pessoas com alta temperatura de forma automática com auxílio da inteligência artificial, podendo acionar sistemas de alarme, controle de acesso, avisos na tela do operador, entre outros.

O equipamento também possui reconhecimento facial, o que ajuda na identificação das pessoas de forma rápida e eficaz, esse recurso também conta com a detecção de máscaras, o que auxilia na obrigatoriedade do uso do equipamento de proteção.

Controladores de acesso – Já os controladores de acesso por leitura facial são considerados os mais rápidos e precisos do mercado brasileiro. Os equipamentos escaneiam rostos em até 0,2 segundo – a média de leitura de produtos semelhantes disponíveis no mercado é de 5 segundos – tornando o controle de pessoas mais ágil e seguro, evitando aglomerações e atrasos.

Os modelos também realizam o controle de acesso sem contato físico, garantindo a diminuição do risco do contágio de doenças em ambientes como empresas, universidades e condomínios.

A linha possui produtos que medem a temperatura corporal com precisão, identificando pessoas com febre, um dos sintomas de Covid-19, tecnologia anti-fake que identifica e compara a profundidade da imagem, impossibilitando o uso de fotos e vídeos na tentativa de liberação do acesso e inteligência artificial capaz de reconhecer os usuários cadastrados mesmo diante de variações físicas como mudança de roupa, corte de cabelo ou uso de óculos.

“Neste momento de tantas mudanças e incertezas, do chamado ‘novo normal’ criamos dentro do nosso portfólio produtos que têm contribuído no processo de prevenção do novo coronavírus. Alguns foram desenvolvidos e outros adaptados. São soluções que temos disponibilizado para indústrias, shoppings e diferentes ambientes que estão passando por processos de reabertura e precisam de uma maior segurança”, ressaltou.

Soluções já têm sido adotadas por empresas e órgãos públicos em todo o País, diz Correa | Crédito: Divulgação/Intelbras

Outros itens que também têm sido altamente demandados dizem respeito ao home office. Conforme o diretor, este é o caso dos roteadores e head sets, por exemplo.

Mas a cartela de produtos não para por aí. A Intelbras produz mais de 2 mil itens diferentes. Por isso, embora não revele dados sobre a expectativa de desempenho no exercício, a empresa segue otimista com os números. Correa destacou que 2020 apresentou um cenário completamente diferente devido à pandemia, e que as demandas se voltaram para as soluções de serviços essenciais e também de profissionais e famílias que passaram a trabalhar e estudar em casa, o que aumentou a procura por produtos de redes, comunicação, segurança eletrônica e energia.

“Agimos rapidamente e a empresa atuou, desde o princípio, com várias ações voltadas tanto para o institucional quanto para o comercial, sempre buscando proporcionar segurança e informações aos colaboradores, parceiros e sociedade em geral”, lembrou, ressaltando o compromisso firmado de manter os 3.500 postos de trabalho, mesmo diante do cenário desafiador.

Deste total, 280 estão na unidade mineira que, além das linhas de produção de produtos sistemas de alarme, centrais de cerca elétrica, sensores de alarme, interfonia condominial, centrais de portaria, controle de acesso, entre outras, a unidade abriga ainda a seção de desenvolvimento de novos produtos, toda área de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), de atendimento ao cliente e área de apoio comercial aos clientes.