Crédito: Freepik

Forno de Minas conquista certificado BRC pela quinta vez 

Em um ano importante para a Forno de Minas, que acaba de completar 30 anos, a líder nacional na produção de pães de queijo conquista, pela quinta vez, o reconhecido certificado internacional BRC (Bristish Retail Consortium), somando motivos para se orgulhar. Com a obtenção do maior índice de aprovação (AA) para as linhas de pães de queijo (crus e assados) e waffles, a empresa reafirma a segurança e a qualidade de seus produtos e a responsabilidade e compromisso com o consumidor final.

Por ser referência em mais de 120 países e atestar a competência de todo o sistema produtivo, no que diz respeito à segurança dos alimentos, o BRC é essencial para alcançar um dos principais objetivos da Forno de Minas, de transformar o pão de queijo mineiro em um produto global. A companhia possui, ainda, outras duas importantes certificações do setor de alimentos: a Gluten-Free, principal certificação do mercado sem glúten, e a Halal, que atesta que a produção está de acordo com as orientações da lei islâmica.

Monetizze está entre as 20 melhores empresas mineiras de porte médio para se trabalhar 

O ano de 2020 será marcado por bons resultados e grandes feitos para a Monetizze, plataforma de meios de pagamento com possibilidade de afiliação. A empresa mineira, fundada em 2015 com objetivo de conectar produtores e afiliados por meio de um sistema de comissões, acaba de ficar entre as 20 melhores empresas mineiras de médio porte para se trabalhar, de acordo com o ranking da consultoria Great Place to Work (GPTW). Além disso, a empresa espera um crescimento da ordem de 35% no próximo ano em relação ao ano passado.

O GPTW é uma consultoria global que apoia organizações a obter melhores resultados por meio de uma cultura de confiança, alto desempenho e inovação. Todos os anos, a consultoria certifica e reconhece os melhores ambientes de trabalho em 90 países ao redor do mundo, segundo critérios pré-estabelecidos. A Monetizze disputou espaço com outras 40 empresas mineiras, que tinham de 100 a 999 colaboradores. O resultado foi obtido depois de quatro etapas fundamentais ao processo: a certificação (somente empresas certificadas pelo GPTW podem participar), envio de documentos com detalhes sobre o perfil da organização, avaliação das práticas culturais da empresa e, por último, a premiação, depois da qual a Monetizze poderá utilizar o selo da organização.

Vendas de produtos porta a porta migram para o meio digital e crescem em meio à pandemia 

O isolamento social provocado pelo novo coronavírus, aliado a inserção de novos revendedores em busca de recolocação profissional e ao incremento de soluções tecnológicas que favoreceram as vendas on-line são os principais fatores que fizeram com que o setor de Vendas Diretas – também conhecido como Porta a Porta – fosse um dos poucos do comércio a registrar crescimento no primeiro semestre deste ano. Levantamento inédito realizado pela Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (Abevd), entidade que reúne as empresas do setor, mostra que o segmento registrou em julho um aumento de 38,9% em relação ao mesmo mês do ano passado. Já no acumulado do primeiro semestre de 2020, a Venda Direta cresceu cerca de 3% em comparação com o primeiro semestre de 2019. Já o número de revendedores teve um salto de 21% na comparação entre os meses de julho destes anos. Outro fator que merece destaque no levantamento é o perfil do empreendedor neste segmento, onde os jovens somam 48% dos empreendedores independentes e as mulheres são 58% na força de vendas, fatores que facilitam a virtualização dos negócios. De acordo com pesquisa realizada pela Abevd as vendas diretas tiveram engajamento de 20,6% na internet, 18% no WhatsApp e 14,9% nas mídias sociais, ou seja, mais de 50% das vendas realizadas pelos empreendedores independentes ocorrem em meio digital.