Crédito: Reprodução

A vida da jovem e destemida ativista ambiental

Por uma questão de consciência ecológica, a jovem ativista sueca Greta Thunberg trocou o conforto de uma viagem aérea pelos perrengues de uma travessia oceânica de 14 dias para chegar à Nova York, onde participa de uma série de eventos em defesa da questão climática e recentemente se encontrou com o ex-presidente americano, Barak Obama. A adolescente de 16 anos se tornou a mais temida ativista pelo clima do mundo devido à sua capacidade de mobilização de jovens ao redor do mundo. E pensar que este movimento começou de forma solitária nas escadarias do parlamento sueco com uma cartolina onde se lia: greve escolar. A singular e meteórica trajetória de Greta, portadora de síndrome de Asperger, um tipo de autismo, lhe valeu a indicação ao Prêmio Nobel da Paz, sendo considerada a Malala do clima. “Nossa casa está em chamas – Ninguém é pequeno demais para fazer a diferença” (Ed. BestSeller) chega às livrarias no momento em que as queimadas na Amazônia colocaram o Brasil no centro de uma polêmica mundial. O livro, narrado por Malena Ernman, a mãe da menina, narra os dramas familiares e a forma como o aquecimento global afetou pessoalmente a vida da filha. (Nossa casa está em chamas – Ninguém é pequeno demais para fazer a diferença, Editora BestSeller – Grupo Editorial Record, Malena Ernman, tradução de Sonia Lindblom, 336 páginas, R$ 39,90)

Este livro não vai te deixar rico

Talvez você tenha ouvido que o segredo para o sucesso é acordar às 5 horas da manhã todos os dias, mesmo que demore duas horas só para chegar ao trabalho. Ou que o pensamento positivo é a chave para ganhar seu primeiro milhão, não a herança do seu pai. Até mesmo pode ter sido lembrado que alguns bilionários abandonaram a universidade para empreender, fazendo com que você tenha se sentido angustiado ou fracassado. Calma, existe muita fantasia sobre empreendedorismo. Afirmações como essas não possuem embasamento científico, ignoram estatísticas e se provam falsas ao entrar em choque com a realidade. Livros, especialistas e cursos que deveriam preparar o aspirante ao mundo dos negócios acabam fazendo o oposto ao ocultar obstáculos e criar expectativas infundadas. Empreender é se arriscar. E assumir riscos exige cuidado e planejamento desprendido de ilusões. Sonhar é importante, mas, sem segurança familiar, condições financeiras e muita dedicação, pode virar um pesadelo. Escrito por Startup da Real, principal perfil de empreendedorismo do Twitter e do Medium, a nova edição revista e ampliada do best-seller “Este livro não vai te deixar rico” apresentará fundamentos importantes e confiáveis para que você possa se aventurar nos negócios e buscar o sucesso que sempre quis. Você aprenderá a não começar do zero, a importância dos estudos para sua carreira, tudo o que você precisa saber antes de começar seu negócio e possíveis respostas para muitas outras dúvidas. (Este livro não vai te deixar rico, Editora Planeta, Startup da Real, 240 páginas, R$ 39,90)

O homem por trás do mito automobilístico

Por quase 70 anos, Enzo Ferrari dominou um império automobilístico que definiu o mundo dos carros de alto desempenho e que se mantém sólido até os dias de hoje. Mas será que o modenense, tão reverenciado na Itália quanto o próprio Papa, era o mestre retratado pela mídia ou era apenas um déspota implacável que levava seus colaboradores à beira da loucura? “Ferrari – O homem por trás das máquinas” (Editora BestSeller) é a biografia definitiva deste mito. Escrita pelo jornalista automobilístico Brock Yates, o livro chega ao Brasil com um anexo de autoria da editora Stacey Bradley, que analisa a trajetória da empresa da morte de seu fundador até 2014. Yates penetrou o verniz brilhante e impecável da Ferrari e revelou a verdade por trás das relações de poder bizarras de Enzo Ferrari e sua obsessão por velocidade. A publicação desta biografia não autorizada, em 1991, despertou tanto o furor dos ferraristas mais ferrenhos quanto a admiração dos historiadores. Inédito no Brasil, o livro aborda ainda a rivalidade com Maserati, Jaguar e Porsche e a relação com a família Farina. O tema que deu origem ao filme ‘Ford vs Ferrari’ está em detalhes no capítulo 16. O encarte de fotos apresenta personagens célebres como Alberti Ascari e Aurelio Lampredi. (Ferrari – O homem por trás das máquinas, Brock Yates, tradução de Carlos Szlak, Editora BestSeller – Grupo Editorial Record, 552 páginas, R$ 119,90)

Escrita e psicanálise por Joel Birman


O psiquiatra Joel Birman é um dos mais renomados intelectuais brasileiros da atualidade. Autor de obras de referência como “O sujeito na contemporaneidade”, que ganha um novo projeto editorial em 2019, o professor lança a coletânea “Cartografias do avesso – Escrita, ficção e estéticas de subjetivação em psicanálise” (Ed. Civilização Brasileira), que reúne 22 ensaios sobre a preocupação com a problemática da escrita em psicanálise (método terapêutico que interpreta conteúdos inconscientes), na sua relação com a das estéticas de subjetivação. Os textos são organizados em oito partes: Linguagem e discurso, Escrita, Ficção, Sublimação, Humor, Literatura, Artes plásticas e visuais, além de Cinema. O livro trata a concepção de Freud sobre a psicanálise e das diferentes leituras que foram realizadas do discurso freudiano por filósofos como: Lacan, Derrida e Foucault, principalmente. O fio condutor dessa leitura é a linguagem e o discurso artístico e suas relações com o sujeito em psicanálise. Por isso, a discussão de temas do campo do humor, da literatura, da pintura e do cinema, são constantemente explorados. De acordo com o professor Paulo Vaz, que assina a orelha de “Cartografias do avesso”, “o eixo do livro é a conceituação do modo como a psicanálise apreende os seres humanos em seus processos de simbolização. Joel Birman propõe que há três formas de descentramento da consciência, conceituadas pela psicanálise: o desejo inconsciente, o desamparo e a angústia do real disseminada pelo trauma. Correspondendo a esses descentramentos, há três esforços de simbolização, três cenas de escrita de si: a escrita provocada pelo desejo inconsciente, a escrita provocada pela força da pulsão e a escrita do trauma”. (Cartografias do avesso – Escrita, ficção e estéticas de subjetivação em psicanálise, Joel Birman, Editora Civilização Brasileira – Grupo Editorial Record, 560 páginas, R$ 94,90)