Crédito: Thiago Mamede

A Fundação Ezequiel Dias (Funed) teve dois projetos de pesquisa aprovados na chamada Nº 001/2020 – Programa emergencial de apoio a ações de enfrentamento da pandemia causada pelo novo Coronavírus -, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig).

O objetivo da chamada é estimular a cooperação entre pesquisadores e órgãos de pesquisa; apoiar ações voltadas ao enfrentamento e mitigação dos danos causados pelo Covid-19; e incentivar a busca por procedimentos eficazes no combate à pandemia.

Os trabalhos aprovados são coordenados pelos pesquisadores Sérgio Caldas e Luiz Guilherme Heneine, ambos da Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento (DPD), e visam ao tratamento e diagnóstico do Covid-19.

O projeto Uso de ferramenta molecular e desenvolvimento de soro heterólogo anti-Sars-Cov-2 como estratégia de enfrentamento ao Covid-19, coordenado por Sérgio Caldas, será desenvolvido em conjunto com as Diretorias Industrial e do Instituto Octávio Magalhães e tem como potencial impacto e relevância o uso de recursos de infraestrutura e expertise já disponíveis na instituição para o desenvolvimento de uma alternativa terapêutica ainda não proposta no contexto da atual pandemia.

“Vários estudos têm demonstrado que a administração passiva de anticorpos policlonais pode melhorar a taxa de sobrevida em infecções virais graves, sendo vista como uma estratégia promissora para o enfrentamento ao Covid-19 e controle de futuros surtos”, explica Caldas.

O projeto de Luiz Heneine tem o objetivo de desenvolver um teste rápido com o biossensor para o Covid-19, preenchendo a lacuna entre os dois testes existentes: o molecular, que detecta o componente genético do vírus na amostra; e o teste imunológico, que detecta os anticorpos IgM e IgG no soro de paciente.

“No caso do biossensor que estamos propondo, um anticorpo específico para o coronavírus tipo 2 é colocado nele, sendo capaz de detectar os vírus presentes nas amostras dos pacientes.

Essas amostras podem ser swabs nasais e orais, saliva e soro. Uma gota de amostra depositada no biossensor e 10 minutos de incubação são suficientes para obter o resultado”, relata o pesquisador.

O diferencial esperado para este teste é detectar proteínas virais nas amostras antes mesmo dos sintomas aparecerem. Essa detecção precoce é de fundamental importância para definir estratégias de controle da pandemia, como mapeamento dos locais com necessidade de lockdown, isolamento social mais rígido e também sobre onde já se pode iniciar o retorno das atividades sociais.

“Vemos estes projetos como a busca por uma resposta rápida durante a pandemia, com chances reais de desenvolvimento de produtos eficazes em benefício da saúde pública”, diz Sílvia Fialho, diretora de pesquisa da Funed. (Da Redação)