Szuster: oferecemos soluções para cada modelo de negócio | Crédito: Divulgação

As limitações impostas pelas medidas de distanciamento social em combate ao novo coronavírus adotadas em todo o País e a consequente aceleração da digitalização de processos estão beneficiando os negócios da startup mineira Dti Digital. A empresa atua na transformação digital em grandes empresas como Vale, Gerdau, MRV, VLi, Localiza Hertz, Hermes Pardini, FCA e Serasa Experian.

Para isso, oferece soluções específicas para cada modelo de negócio a partir da cultura ágil, visando a melhor experiência do cliente. É o que explica o sócio-fundador, Marcelo Szuster. Segundo ele, à medida que o trabalho remoto e o distanciamento social impactaram todos os setores e todo o mundo, tornou-se mais claro que a única forma de prosperar em um ambiente volátil, incerto, complexo e ambíguo, é ser ágil.

Neste sentido, a Dti é uma empresa especializada em metodologias ágeis e design thinking, colocando o cliente no centro de sua atuação, orientando-o em uma jornada de transformação com o uso dos serviços adequados para melhorar a experiência dos clientes finais e criar novos modelos de negócio.

O objetivo primordial é auxiliar na implementação das estratégias digitais para o negócio dos clientes, sempre alinhado com o conceito de agilismo. Assim, com uma equipe de nativos digitais, a empresa vem crescendo a uma taxa média anual de 90% nos últimos 3 anos e projeta alta de 40% nos negócios em 2020.

De acordo com o CEO, não fossem os primeiros impactos da pandemia, logo dos primeiros registros de casos no País, o incremento seria ainda maior. “Vínhamos experimentando crescimentos ainda maiores nos últimos exercícios e, certamente, este ritmo seria mantido neste exercício. Mas, diante do contexto, 40% é um desempenho muito satisfatório”, comentou.

A Dti foi fundada em 2009 por um grupo de profissionais que já atuavam com agilismo há quase 10 anos. Com mindset ágil e mais de 700 funcionários, a empresa acredita no desenvolvimento ágil, não apenas no que se refere a ferramentas, mas também em processos. Por isso, muitas empresas a contratam não apenas para a criação de softwares e produtos, mas também para alinhar suas políticas e culturas empreendedoras às da startup.

E se a demanda por estes diferenciais já existiam antes da chegada da Covid-19 ao Brasil, com as medidas de distanciamento social e a maior procura por produtos e serviços digitais, o negócio foi ainda mais impulsionado.

“A partir de soluções específicas adaptadas a cada modelo de negócio dos nossos clientes, ajudamos as grandes corporações a se transformarem digitalmente e culturalmente por meio da criação e entrega de produtos digitais, desde a concepção com design thinking até a implementação com metodologias ágeis por meio da nossa plataforma de Squads as a Service que impulsiona a mudança dentro dessas empresas”, resumiu.