Durante a assembleia, foi aprovado o estatuto do Sindsuper e eleita sua primeira diretoria - Crédito: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Responsáveis por 197,3 mil postos de trabalho em Minas Gerais atualmente, os supermercados acabam de criar, em assembleia realizada na sede da Associação Mineira de Supermercados (Amis) no dia 21, o Sindicato de Supermercados de Minas Gerais (Sindsuper-MG).

De acordo com o superintendente da Amis, Antônio Claret, a principal demanda do Sindsuper-MG é atuar junto à Justiça na negociação das convenções coletivas do trabalho.

“Essa é uma demanda antiga dos supermercadistas. O segmento tem características específicas e não éramos bem representados pelas entidades do comércio. Com a criação do sindicato vamos poder negociar melhor e, assim, ajudar a melhorar o mercado como um todo”, explica Claret.

O Sindsuper-MG vai reunir empreendimentos de todo o Estado, incluindo a Capital, que já era representada pelo Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios de Belo Horizonte (Sincovaga BH). Ficaram de fora 40 sindicatos do interior que já fazem a representação.

As bases sindicais que não serão cobertas pelo Sindsuper são: Araxá, Patos de Minas, Patrocínio, São Gotardo (Alto Paranaíba); Barbacena, Congonhas, Conselheiro Lafaiete, Itabirito, Sete Lagoas, (Central); Cataguases, Juiz de Fora, Manhuaçu, Ponte Nova, Santos Dumont, Viçosa, Zona da Mata (Zona da Mata); Caratinga, Governador Valadares (Vale do Rio Doce); Lavras, Poços de Caldas, Vale do Sapucaí, Itajubá, Passos, São Lourenço, Varginha (Sul de Minas); Montes Claros (Norte de Minas), São João del-Rei (Campo das Vertentes), Teófilo Otoni (Vale do Mucuri); Araguari, Ituiutaba, Uberaba, Uberlândia (Triângulo), Divinópolis, Itaúna (Centro-Oeste), Paracatu, Unaí (Noroeste de Minas), Betim e região, Contagem/Ibirité, Santa Luzia, (Região Metropolitana de Belo Horizonte – RMBH) e Vale do Aço.

“Nos organizamos para atender as áreas inorganizadas do Estado. Isso é muito importante porque eles não tinham nenhum tipo de representação. Diante do tamanho de Minas Gerais isso se torna ainda maior. O Sindsuper é para representar qualquer porte de supermercado em qualquer lugar que ele esteja no nosso território. Hoje, existem 40 sindicatos atuantes com os quais entramos em acordo. O sindicato de Belo Horizonte vai integrar o Sindsuper”, destaca.

Durante a assembleia, foi aprovado o estatuto da instituição e eleita sua primeira diretoria, que terá esse primeiro mandato até 20 de novembro de 2022. Os mandatos posteriores serão de quatro anos. O momento agora é passar pelos trâmites legais e aguardar a aprovação pelo Ministério da Economia.

“A partir da Portaria 937/18, que reconhece o segmento de supermercados como atividade econômica, um sindicato se tornou ainda mais importante para o segmento. Agora vamos para o registro em cartório e aprovação pelo Ministério. Esse processo deve ser tranquilo, porém não será concluído em menos de 90 dias”, afirma o superintendente da Amis.

O setor é um dos mais importantes do comércio do Estado. O crescimento real, apurado pela Amis entre janeiro e agosto de 2019, foi de 3,07% em relação a 2018. A projeção para os 12 meses deste ano é de 4%, o que deve resultar em R$ 1,42 bilhão a mais no faturamento das empresas do ramo em Minas Gerais.