Crédito: Alisson J. Silva/Arquivo DC

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) e a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) se uniram para fortalecer a competitividade do setor, por meio de ações que tenham como base a inovação.

Nessa quarta-feira (5), a Abimaq abrirá Chamada para que empresas associadas apontem possíveis projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) que resultem em novos produtos e/ou processos industriais.

A proposta é reunir empresas com interesses comuns para o desenvolvimento de projetos cooperativos apoiados pela Embrapii. A abertura oficial do desafio ocorrerá durante o Webinar “Chamada Abimaq para Projetos Cooperativos com a Embrapii”, que acontecerá, também amanhã (5), às 10 horas.

No encontro virtual, serão apresentados os mecanismos de incentivo à PD&I da Embrapii e detalhadas as vantagens em realizar projetos cooperativos em âmbito pré-competitivo (divisão de esforços, conhecimento, custos e riscos). Se inscreva no link.

A Embrapii pode financiar até metade do valor de projetos cooperativos com recursos não reembolsáveis e conta com uma rede com 57 centros de pesquisas credenciados (Unidades Embrapii), com profissionais qualificados e equipamento de ponta para atender a demanda da indústria por inovação. Também participam do encontro virtual, as empresas FCA Fiat e a startup Horus, que vão detalhar a experiência em realizar projetos cooperativos e parceria com a Embrapii.

Projetos cooperativos – A Fiat Chrysler Automobiles se reuniu com outras entidades empresariais e fornecedores da indústria automobilística (CBA – Companhia Brasileira de Alumínio, Novelis, Aethra e 6PRO Virtual and Practical Process) para o desenvolvimento de ligas de alumínio inovadoras, que propiciem redução de peso e maior resistência.

A inovação, feita em parceria com a Unidade Embrapii ISI Ligas Especiais, dará maior segurança veicular e economia de combustível. Ligas de menor peso e baixa densidade, como o alumínio, contribui para a redução de emissões de CO2 e o desempenho energético dos automóveis.

A startup Horus firmou parceria com a Basf e a Unidade Embrapii Certi para desenvolver um software para drone de monitoramento agrícola que detecta os locais de maior infestação de pragas e vegetação doente no cultivo de soja.

Em geral, o processo convencional no combate a ervas daninhas é baseado na verificação periódica do plantio e algumas medidas acabam sendo adotadas tardiamente. O software agilizará o processo, permitindo um monitoramento preventivo e de maior abrangência, além de evitar o uso de herbicidas nas áreas saudáveis.