Crédito: Glaucimara Castro

Depois de ficar 10 anos desativada, a tradicional casa de fondues Era Uma Vez Um Chalezinho volta a funcionar no mesmo endereço em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

Com um conceito mais moderno e novo nome, Vila Chalezinho, a casa recebeu um investimento de R$ 3 milhões e a expectativa é de que ela atraia cerca de 5 mil pessoas por mês e fature R$ 800 mil no período.

O fundador do Grupo Chalezinho, Antônio Augusto Marcellini, explica que o projeto da casa de fondues tem 40 anos e começou na Savassi, na região Centro-Sul da Capital. Em 1994, o restaurante se mudou para a região conhecida como Seis Pistas, em Nova Lima, e por lá ficou durante 15 anos.

“Saímos porque cedi o terreno do restaurante para a construção do Concórdia Corporate com a promessa de que, quando estivesse pronto, receberíamos nosso espaço de volta. Foi o que aconteceu: agora voltamos para o mesmo endereço, mas associados a um empreendimento de alto nível, com toda a infraestrutura de segurança e garagem à disposição dos nossos clientes”, afirma.

Com um conceito mais moderno, expectativa é de que a casa fature R$ 800 mil por mês – Crédito: Divulgação

O investimento de R$ 3 milhões foi aplicado na compra de mobiliário, equipamento e decoração do ambiente, que permanece com a mesma ideia de “piano café”, mas mais moderno. Entre os toques de sofisticação trazidos pelo novo espaço está o telhado com vista para o céu e a lareira. “A essência é a mesma, mas com características mais modernas. Agora temos um chalé estilizado”, resume.

Ele explica que mudou o nome do empreendimento porque a marca Chalezinho ficou muito associada às casas de balada, que pertence ao grupo. Por isso, os sócios resolveram colocar o “Vila” na frente para fazer a diferenciação e também como homenagem ao bairro Vila da Serra, onde fica o restaurante.

A casa tem capacidade para 200 pessoas, sendo 160 na área interna e 40 em um espaço ao ar livre, construído abaixo de um pergolato. A ideia, segundo o fundador, é ser referência de boa comida tanto no inverno quanto no verão.

Por isso, a casa permanece oferecendo os fondues como especialidade, mas também tem outras opções no menu, como o Steak à Diana, com a carne flambada no conhaque, e o Boeuf a Bourguignon, receita clássica francesa servida com mousseline.

Em 1994, o restaurante se mudou para a região conhecida como Seis Pistas, em Nova Lima | Crédito: Divulgação

O restaurante também oferece massas, saladas, sanduíches, chocolates, cafés e drinks. O tíquete médio é de R$ 150. Marcellini acredita que o Vila Chalezinho deve atrair entre 4 mil e 5 mil pessoas por mês, faturando cerca de R$ 800 mil no período.

Ao todo, o Grupo Chalezinho tem 10 empreendimentos, entre restaurantes, casas de festa e de balada. Eles ficam em Belo Horizonte e região metropolitana, em São Paulo e na Flórida, nos Estados Unidos.

Segundo o fundador, essa diversificação de atividades tem ajudado o grupo a se manter com bons resultados mesmo em meio à crise econômica no Brasil. A expectativa é de que a empresa feche 2019 com um resultado estável em relação ao ano passado.