Crédito: Divulgação

Racismo, sexismo, autoestima, falta de oportunidades, diferenças de classe, sexualização da mulher negra, esteriótipos e a busca por um lugar ao sol sendo preta no Brasil, são alguns dos temas relativamente polêmicos abordados no livro “Preta Patrícia” de Carolinne Oliveira, que além de escritora é atriz e modelo internacional. O lançamento do livro acontece no dia 20 de novembro, dia da consciência negra no País.

Sobre a definição que intitula o livro, “Preta Patrícia”, Carol explica que nada mais é do que uma mulher insaciável, que tem sede de ser a melhor versão de si mesma”.  A autora ainda comenta sobre o termo patricinha. “No Brasil, esse termo veio a se popularizar nos anos 90 e geralmente o termo remete à mulheres que levam uma vida luxuosa, o que obviamente não é a realidade da maioria das mulheres negras”, afirma Carol.

Questionada sobre o que gira em torno do termo voltado para negras, a autora explica que ser uma Preta Patrícia não é sobre ser uma mulher nascida em família rica, ou seja, herdeira de alguém, mas sim, que as mulheres ocupantes desse status na vida, conquistaram por seus próprios méritos.

Apesar do Brasil ter 54% da população negra, conforme um estudo realizado em 2015 pelo IBGE, a realidade é que os pretos estão bem longe de ocuparem destaques na sociedade, sendo que pretos e ricos neste mesmo estudo, ocupam 17% da fatia de riqueza no país.

“O livro traz verdades que todo mundo pensa, mas ninguém tem coragem de falar, porque admitir a verdade, muitas vezes vergonhosa em nosso país, é enfrentar todo um sistema que foi projetado para te calar. Isso requer coragem e um pouco de loucura, já que eu corro o risco de ser mal interpretada por muitas pessoas, mas alguém precisa ter essa iniciativa e levantar essa bandeira. É necessário!”, afirma Carol.

A escritora ainda completa, “Quero que mais pretas tenham acesso a informações valiosas e que mudem suas mentes, porque assim, poderão mudar a realidade de suas vidas. O livro tem uma linguagem direta e universal. Quero que todas as classes compreendam ele de forma clara, não precisa ter doutorado para ler meu livro”, dispara.

Para o lançamento do livro, em função do coronavírus, não haverá evento presencial e, por enquanto, o livro estará disponível apenas na versão online. Na web, Carol promete agitar o público com surpresas em todos os seus canais e estão previstas participações especiais de influencers em lives, além do lançamento de um clipe com imagens filmadas durante os ensaios fotográficos realizados para esse livro na Europa e no Brasil. “Esse projeto é mais do que um livro é uma filosofia de vida. Para embalar todo esse empoderamento ainda teremos uma música própria!”, finaliza.