COTAÇÃO DE 26/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6270

VENDA: R$5,6270

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,8030

EURO

COMPRA: R$6,6420

VENDA: R$6,6450

OURO NY

U$1.792,47

OURO BM&F (g)

R$327,87 (g)

BOVESPA

-1,34

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Negócios Negócios-destaque

Estudo aponta insatisfação com o EAD

COMPARTILHE

Dois em cada cinco pais (42%) entrevistados no Brasil admitiram que estavam insatisfeitos com a qualidade da educação on-line. Os dados são de uma pesquisa global realizada pela Avast sobre o ensino a distância em tempos de pandemia. No Brasil, 525 entrevistados participaram da pesquisa. Os pais nos Estados Unidos, Inglaterra, Japão, Eslováquia, Rússia, Austrália, República Tcheca, Alemanha, França, México e Argentina também estão entre os entrevistados.

Os pais foram questionados sobre sua satisfação com a qualidade da educação online de seus filhos durante o confinamento e quais vantagens e desvantagens eles encontraram no aprendizado.

PUBLICIDADE

Do total de insatisfeitos, 28% responderam que simplesmente não estavam satisfeitos e 14% que estavam extremamente insatisfeitos com o aprendizado durante a quarentena. Por outro lado, 37% dos pais brasileiros disseram estar satisfeitos com relação a essa questão: 31% responderam que simplesmente estavam satisfeitos e 6% que estavam extremamente satisfeitos com a educação online de seus filhos durante esse período.
Globalmente, o menor índice de pais insatisfeitos encontram-se na Austrália – apenas 19% dos entrevistados. Os pais australianos também são os mais satisfeitos, com quase 63% dos entrevistados tendo avaliado o aprendizado online de seus filhos muito bom durante a quarentena. Em segundo e terceiro lugares entre os mais satisfeitos estão os EUA (55%) e Eslováquia (54%), respectivamente.

Os pais brasileiros entrevistados também compartilharam como o tema da segurança on-line tem sido abordado no ensino a distância. Um número significativo de entrevistados (30%) observou que os professores não falaram sobre as regras de privacidade relacionadas ao e-learning. Ao mesmo tempo, 37% dos professores no Brasil permaneceram atentos às informações sigilosas de seus alunos: por exemplo, eles não compartilharam o trabalho dos alunos com as outras crianças ou com os pais via plataformas web, sem permissão. Adicionalmente, 36% responderam que o trabalho do aluno permanece visível para todos os outros alunos ou pais em uma plataforma web compartilhada.

“A educação a distância é uma experiência nova e difícil para a maioria dos pais brasileiros, pois nem todos têm recursos e horas disponíveis para ajudar seus filhos com as atividades escolares ou para entender o conteúdo de uma maneira acessível”, comenta a country manager da Avast no Brasil, André Munhoz. “No entanto, esta também pode ser uma boa oportunidade para os pais se aprofundarem no tema de segurança online e buscar por ferramentas, ensinando seus filhos a utilizá-las e respeitando as regras básicas para manter a privacidade e suas informações sigilosas seguras no universo digital”, completa.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!