COTAÇÃO DE 19/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,5930

VENDA: R$5,5940

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6270

VENDA: R$5,7770

EURO

COMPRA: R$6,4569

VENDA: R$6,4588

OURO NY

U$1.768,97

OURO BM&F (g)

R$315,96 (g)

BOVESPA

-3,28

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Negócios zCapa

Frutty investe para ampliar a produção em Minas Gerais

COMPARTILHE

Fábrica da Fruty produz, por hora, 12 mil garrafas de 2 litros, 15 mil garrafas de 500 ml e 15 mil garrafas de 250 ml - Crédito: Divulgação

Localizada em São Gonçalo do Sapucaí, no Sul de Minas Gerais, a indústria de refrigerantes Frutty aposta na reação da economia nacional e investe em expansão. Durante o ano de 2018, foram cerca de R$ 12 milhões investidos em maquinários e nova tecnologia para triplicar a produção.

A empresa também aumentou sua estrutura física para abrigar uma engarrafadora de água mineral. A expectativa é de que a nova linha tenha um investimento de R$ 8 milhões.

PUBLICIDADE

O diretor administrativo da Frutty, Rogério Vilela, afirma que foi justamente a confiança na recuperação da economia que fez a direção investir em um ano marcado de incertezas políticas.

“Fizemos o projeto de expansão no fim de 2017 e em 2018 começamos a implementá-lo, em plena crise. Fizemos isso acreditando que o Brasil não ia ficar parado para sempre”, diz.

A capacidade produção da fábrica foi triplicada e, hoje, produz, por hora, 12 mil garrafas de 2 litros, 15 mil garrafas de 500 ml e 15 mil garrafas de 250 ml. O investimento de R$ 12 milhões foi em maquinário e também em softwares e tecnologia em geral.

A expectativa é de que o retorno desse investimento aconteça em até cinco anos. Para suportar o crescimento em produção, a fábrica também contratou 25 colaboradores.

De acordo com Vilela, a fábrica tem 10 produtos diferentes, entre refrigerantes, energético e água gaseificada. Entre os sabores produzidos pela Frutty estão: guaraná, laranja, limão, tubaína, cola, uva e abacaxi. A linha de produção contempla garrafas de diferentes tamanhos, desde o tradicional 2 litros até o menor de 250 ml.

A indústria também está em processo de aprovação para engarrafamento de água mineral. A água é proveniente de uma fonte que fica dentro da área da fábrica e, segundo o diretor, trata-se de água fluoretada e alcalina. Segundo Vilela, o processo de licenciamento da nova planta já dura 10 anos.

“Nosso objetivo era trazer mais valor agregado para a marca, adicionando um produto ao portfólio. Mas tem sido uma jornada longa por conta da burocracia”, destaca. O diretor afirma que é difícil prever quando a fábrica será construída, pois depende da aprovação da Agência Nacional de Mineração.

Mesmo assim, a gestão já investiu em expansão física da fábrica: alguns terrenos no entorno foram comprados e a fábrica passou de 27 mil metros quadrados para 35 mil metros quadrados. A estimativa do diretor é de que a nova planta de engarrafamento de água receba um investimento de R$ 8 milhões.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!