COTAÇÃO DE 27/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,7380

VENDA: R$4,7380

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,8300

VENDA: R$4,9460

EURO

COMPRA: R$5,0781

VENDA: R$5,0797

OURO NY

U$1.853,86

OURO BM&F (g)

R$284,80 (g)

BOVESPA

+0,05

POUPANÇA

0,6462%

OFERECIMENTO

Negócios Negócios-destaque

Loja do Sapo reorganiza-se em meio à crise

COMPARTILHE

Estamos crescendo mês após mês, afirma Douglas Sabino | Crédito: Nicole Marques

Clientes sumidos, lojas fechadas e um plano de expansão que já não mais fazia sentido. O cenário desolador desabou sobre as cabeças de muitos empresários brasileiros em meados de março, quando o Covid-19 fez suas primeiras vítimas no País e o isolamento social se mostrou como a profilaxia mais eficaz contra a disseminação da doença.

A Loja do Sapo, especializada em manutenção de dispositivos eletrônicos, foi uma das que passou pela mesma situação. Mas, segundo o sócio da Loja do Sapo, Douglas Sabino, a parada fez com que a equipe se reunisse, reavaliasse estratégias e fosse capaz de reconhecer oportunidades em meio à crise. A expectativa agora é que a empresa tenha um resultado no final do ano melhor do que o projetado no fim de 2019.

PUBLICIDADE




“Esse não é um momento para comemorarmos nada, mas era importante encontrar oportunidades quando tudo parou, afetando duramente nossos planos de expansão. Passamos por um momento de pessimismo, mas fomos nos adaptando e agora estamos crescendo mês após mês. Temos nossa essência on-line, nascemos no Instagram e só depois fomos para o mundo físico. Fazíamos atendimento pelas redes e no início do ano decidimos ir para os shoppings. Muitos clientes queriam nos achar sem ser com horário marcado em um lugar. E, por sermos nativos digitais, vivemos a adaptação imposta pela pandemia de um jeito mais fácil. O plano de abrir 10 unidades está em stand by, mas não desistimos de estar nas principais capitais em cinco anos”, explica Sabino.

Para dar conta da demanda crescente, a empresa já contratou 10 novos colaboradores e mudou a sede para um espaço maior. Também reforçou o investimento em treinamento e instituiu protocolos de biossegurança. O cliente pode optar por receber o técnico em casa, enviar o aparelho pelos correios ou solicitar que o equipamento seja buscado e entregue por um serviço de entrega da própria Loja do Sapo (delivery).

“Instituímos os protocolos para que todos fiquem seguros e confortáveis para entrar na casa de alguém ou receber alguém em casa. As pessoas estão com medo de sair, mas nesse momento precisam, mais que nunca, que os aparelhos funcionem. O home office aumentou o exponencialmente o uso do celular para o trabalho e isso, claro, aumentou a demanda por consertos. Ao mesmo tempo, as lojas de consertos estão fechadas, e como nós já atendíamos de maneira remota, também conquistamos parte desses clientes. E, por fim, muita gente tinha uma troca de aparelho programada e com as lojas fechadas e também por uma política de redução de gastos, vão optar pelo conserto e não mais pela compra”, analisa o sócio da Loja do Sapo.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!