Crédito: REUTERS/Dado Ruvic

A QR Consulting é uma das duas primeiras empresas mineiras a abraçar uma das maiores campanhas sem fins lucrativos, o Movimento #2em2, que oferece testes de anticorpos ao Covid-19 no Brasil. O projeto deu a largada em São Paulo, com o objetivo de atender cerca de 800 pessoas por dia e a coleta é feita por profissionais da saúde, em dia e horário pré-agendados.

A cada teste vendido pelo aplicativo de entregas Rappi, outro será doado para hospitais públicos e filantrópicos.

Com atuação nacional no segmento de saúde, a QR Consulting, importadora de produtos médicos e prestadora de assessoria regulatória, é detentora do registro do primeiro teste rápido para detecção de anticorpos do Covid-19 registrado pela Anvisa. O tipo de exame oferecido é o de sorologia pela metodologia de imunocromatografia (IC) que, diferentemente dos testes vendidos em farmácias, apresenta maior sensibilidade.

“Os testes foram aprovados pela agência nacional após avaliação técnica da documentação, pois a fabricante americana já possuía a certificação de Boas Práticas de Fabricação exigida pela Anvisa. Os resultados dos testes para detecção dos anticorpos do Covid-19 alcançam uma precisão acima de 90%”, descreve a diretora comercial e qualidade da empresa, Ana Paula Tameirão.

Segundo Ana Paula Tameirão, os testes também foram validados pelo comitê médico do movimento e pelo laboratório médico-científico da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do ABC (UFABC). “Nossa intenção é trazer o maior número de testes possível para atender à demanda do movimento”, adianta a diretora comercial da QR Consulting.

As coletas de amostras de sangue para identificar anticorpos contra o coronavírus são realizadas por profissionais da saúde (técnicos de enfermagem, enfermeiros, biomédicos e médicos) contratados e treinados pela Cia da Consulta, uma das líderes da ação, e enviadas para processamento. Entre dois e cinco dias os pacientes receberão um e-mail com o caminho para acesso ao resultado (número do protocolo e link) e, caso seja positivo, terão direito a realizar uma teleconsulta com um médico.

O valor do exame – R$ 251 – corresponde ao preço de custo e todo o processo de doação dos testes passa por uma verificação técnica com regulamento feito pelo escritório Mattos Filho, a fim de garantir transparência e legitimidade para o dinheiro arrecadado.

De acordo com Ana Paula Tameirão, Belo Horizonte está entre as próximas cidades a receber o #2em2. “A campanha tem um papel social extremamente importante na luta contra o novo coronavírus. Todas as empresas envolvidas no projeto, assim como a QR, estão doando recursos próprios para alocação de times, dinheiro, compra de material, disponibilização de espaços e diminuição de receita própria, mas precisamos contar com a participação e o apoio de mais organizações para viabilizar os testes nas demais cidades do Brasil”, destaca a diretora comercial.

Além da mineira QR Consulting, a iniciativa inédita conta, em São Paulo, onde o movimento começou, com a participação de outras empresas de saúde, tecnologia e redes de shoppings: Vitta, Stone, Cia. da Consulta, Rappi, Loggi, Iguatemi Empresa de Shopping Centers, Mattos Filho, XP Inc., ONG Renovatio e Sic Works, e é aconselhada por uma banca médica composta pelo professor da Faculdade de Medicina ABC e coordenador do Centro de Pneumologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Elie Fiss; o professor da Faculdade de Medicina da USP e médico do Hospital Sírio Libanês, Elias David Neto; os diretores médicos da Cia da Consulta, Felipe Folco, e da Vitta, Hans Fernando.

Entenda o Movimento #2em2 – Idealizado pela Vitta, ONG Renovatio e Cia. da Consulta, o movimento cria um marco de resposta estruturada da sociedade civil contra o coronavírus no Brasil para aumentar os níveis de testagem, fundamentais no combate e para a retomada da economia.

“Desde o começo da pandemia nosso grupo de sócios está empenhado em realizar ações para ajudar a população. Quando vimos o desafio da qualidade e disponibilidade de testes, entendemos a importância de criar uma iniciativa que poderia se tornar um modelo nacional, sem fins lucrativos, de resposta conjunta da sociedade civil para este problema. Juntos, vamos dar acesso para que pessoas comprem seus testes de anticorpos de Covid-19, ao mesmo tempo em que ajudam outra parte da população que não têm condição de comprar”, declara o cofundador da Vitta, Tiago Barros.

“Com o #2em2, vamos poder atuar ativamente como parte da solução da crise de saúde que o País enfrenta, com a oferta de testagem em massa da população de forma segura, que pode ajudar as autoridades a tomarem a melhor decisão sobre alocação de recursos de saúde, e relacionadas a economia. E ainda, tem um cunho social do movimento com doação de testes para hospitais públicos e filantrópicos. Para nós, aderir ao projeto teve sinergia com a missão da Cia. da Consulta de oferecer acesso à saúde de qualidade com a nossa expertise operacional e técnica”, destaca o fundador e CEO da Cia. da Consulta, Victor Fiss.

Para testar o maior número de pessoas no país, o movimento #2em2 visa impactar todas as classes sociais. Para isso, a ONG Renovatio será responsável pela distribuição dos testes resultantes do match feito na hora da compra pelo aplicativo Rappi.

“Dos países com maior número de casos confirmados, o Brasil é um dos que menos realizou testes para o Covid-19. Mais testes significam dados mais confiáveis, o que pode ampliar consideravelmente a capacidade de resposta do País, sobretudo para a população em situação de vulnerabilidade social, que em muitas perspectivas está mais exposta aos efeitos da pandemia. O Movimento #2em2 está comprometido com este desafio e para cada teste que for comprado em nosso sistema iremos fazer o ‘match’ de doação para uma pessoa que não pode pagar. A Renovatio será a responsável por garantir a doação, que será financiada por meio da doação de empresas, instituições filantrópicas e pessoas físicas, e serão destinadas à hospitais públicos e filantrópicos e em alguns casos diretamente para comunidades vulneráveis’, destaca o presidente da ONG Renovatio, Ralf Toenjes.

Empresas apoiadoras e patrocinadoras estão doando recursos próprios que abrangem alocação de times, dinheiro e disponibilização de espaços. (Da Redação)