Sérgio Bolognani estima um crescimento de 80% nos negócios neste ano na comparação com 2019 | Crédito: Divulgação

Sediada em Belo Horizonte, a TCI Biotecnologia tem investido fortemente em soluções de saúde, especialmente, naquelas que auxiliem o combate ao novo coronavírus (Sars-Cov-2). Com mais de 14 anos de pesquisas e desenvolvimentos de produtos, a empresa entrou em nova fase no ano passado, com a aquisição de uma planta industrial em Mirabela, no Norte do Estado.

Embora não revele os valores da negociação, por considerá-los estratégicos, o sócio da TCI, Sérgio Bolognani, contou que a estrutura fabril possui 2 mil metros de área construída em um terreno de 5 mil metros quadrados, cuja capacidade instalada de produção é de 1 milhão de unidades por mês – número este que poderá ser ampliado nos próximos meses.

“Estamos em processo de expansão, pois a demanda é crescente, principalmente em relação ao antisséptico Extraya, já testado e aprovado em laboratórios certificados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), como loção eficaz na prevenção contra vírus, germes e bactérias, e que já se encontra em fase final na aprovação também contra o vírus do Covid-19”, revelou.

Conforme o empresário, é grande a expectativa quanto a demanda pelo produto em todo o território nacional e também em países da Europa e América do Sul, uma vez que promete ser uma alternativa ao álcool em gel, protegendo por mais tempo e ainda hidratando a pele das pessoas. Ele possui em sua fórmula ativos naturais e biotecnológicos. Foi aprovado para comercialização em abril, juntamente com outros produtos desenvolvidos pelo laboratório mineiro.

“O Extraya possui risco zero de queimaduras e intoxicações, sendo indicado inclusive a crianças e idosos. Acreditamos que poderá servir como um grande aliado no retorno às aulas, por exemplo”, justificou.

Mas a produção da TCI Biotecnologia não para por aí. O portfólio conta com outras linhas: a de produtos medicinais – Hycos para afecções cutâneas, como pé diabético, psoríase, queimaduras e feridas em geral, a linha veterinária, Power Vet e Pet Vet para tratamento de feridas de animais de grande e pequeno porte. Segundo Bolognani, se por um lado a pandemia possibilita o ingresso em novos mercados, por outro, dificulta a comercialização dos itens tradicionais.

Expectativa – Ainda assim, ele mantém o otimismo para 2020. A expectativa é de aumento de 80% nos negócios neste exercício sobre 2019. Ao todo são 40 profissionais entre diretos e indiretos. Já quanto à estrutura, além da planta fabril no Norte de Minas, há um escritório em Belo Horizonte e, em breve, será inaugurado outro em São Paulo.