Beth Barros*

Ao longo da nossa carreira profissional podemos escolher diversos caminhos, que incluem permanecer ou não em uma mesma empresa ou função durante um período. E ao optar pela transição de carreira, o profissional enfrenta algumas dúvidas neste processo, muitas vezes pela falta de planejamento.

Entretanto é importante ressaltar que aqueles que optam por ter ajuda profissional na sua transição se recolocam duas vezes mais rápido que os demais, reduzindo assim, o impacto do desemprego. Pois na atual conjuntura do Brasil, um processo de transição de carreira pode demorar, em média, mais de um ano para ser concluído.

Em um mercado onde existem três gerações de trabalho em atividade, qualquer um pode traçar um plano de transição. Não existe um único perfil ou trabalho ideal. A geração baby boomer, por exemplo, tende a buscar o reconhecimento e a satisfação. Já Geração Y por sua vez nos mostra que é possível manter o equilíbrio entre vida e trabalho.

Engana-se aquele que pensa que apenas quem está no início da carreira pode mudar. Ao mudar de emprego é preciso avaliar a possibilidade de crescimento no novo cargo ou dentro da nova empresa e perceber a estabilidade da nova companhia diante de um mercado em crise. É importante ter clareza dos motivos pelo qual se optou por um caminho. A partir disso, será bem mais fácil lidar com possíveis dúvidas que venham a surgir. Tudo começa com um bom planejamento, passando por uma estratégia de comunicação clara e consistente, além de estabelecer expectativas realistas para a transição de carreira. É importante ter cautela ao avaliar as oportunidades que aparecerem, calculando riscos e traçando cada ação.

Há um mito sobre transição de carreira que é achar que a mudança implica em desconsiderar o conteúdo e conhecimento adquirido ao longo do caminho. Isso não procede. Mesmo que você deseje mudar completamente de carreira, seguindo em busca de outras áreas, tudo o que aprendeu e absorveu em sua trajetória será útil na nova escolha.

A experiência adquirida vai em direção da realidade do mercado de trabalho atual, na qual, cada vez mais, se exige pessoas com diversas habilidades e adaptáveis a diferentes cenários, vide a instabilidade econômica atual. Logo, faça uma autorreflexão sobre onde está e aonde quer chegar, trace uma estratégia e vá à luta!

*Diretora Regional da Consultoria Lee Hecht Harrison (LHH) Minas Gerais