COTAÇÃO DE 26/02/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6050

VENDA: R$5,6055

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5730

VENDA: R$5,7530

EURO

COMPRA: R$6,7113

VENDA: R$6,7142

OURO NY

U$1.732,60

OURO BM&F (g)

R$307,54 (g)

BOVESPA

-1,98

POUPANÇA

0,1159%%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Opinião Opinião-destaque

A educação brasileira pede socorro

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Crédito: Freepik

Sebastião Alvino Colomarte*

Assim como o setor de saúde, a educação brasileira está na UTI e respira com a ajuda de aparelhos. E ela pede socorro há muito tempo, fruto de uma imensa desigualdade social, que se aprofunda cada vez mais, e pela total falta de interesse do governo, já que não há uma política educacional eficiente. Este cenário se agrava mais pela alta rotatividade de ministros da Educação nos últimos anos.

PUBLICIDADE

A situação se deteriorou devido ao descaso que o setor de educação foi vítima nas últimas décadas. Hoje, como resultado, o setor padece da falta de investimentos e infraestrutura para atender com dignidade nossos jovens. Do outro lado da moeda, ainda deparamos com a péssima remuneração dos profissionais da educação, o que resulta em intermináveis greves no ensino público. Só para se ter uma ideia, em Minas Gerais os poucos dias letivos deste ano foram tomados por greve dos docentes. E para piorar a situação, a pandemia do Covid-19, que atingiu a todos indistintamente, agravou a situação, já caótica, dos alunos menos favorecidos.

O universo escolar clama por ajuda, e não é de hoje. Tenta navegar contra a maré e cumprir sua vocação, mas enfrenta muitas dificuldades e escancara diferenças lamentáveis: separa os que têm dos que não têm oportunidade de frequentar uma escola particular.  E a tendência é que esse abismo aumente com a crise agravada pela pandemia, que vem assolando os empregos dos brasileiros e pressionando a rede pública de ensino, que tem que gerar novas vagas para abrigar os novos “sem-renda” para bancar a escola particular.

Mesmo com as atividades praticamente paralisadas devido à incapacidade de oferecer um ensino remoto de qualidade, ou mesmo por falta de ferramenta por parte dos alunos, a rede pública é a única alternativa para milhares de jovens. Por outro lado, esta crise acaba refletindo nas escolas particulares que, em busca de sobrevivência, são levadas a reduzir custos, com demissões de professores e pessoal, já que a perda de alunos é uma realidade.

Quanto ao ensino remoto ou a distância, penso que é uma boa alternativa neste momento crítico de isolamento social. Mas, como educador e membro-fundador do Centro de Integração Empresa-Escola de Minas Gerais (CIEE/MG), faço aqui algumas ressalvas: nas primeiras séries do ensino fundamental é muito difícil sua aplicação, já que o modelo ideal é o do ensino em tempo integral para que as crianças possam ter, além das necessárias aulas presenciais, o acompanhamento escolar, merenda, acesso às novas tecnologias e, o essencial, tempo para brincar e se relacionar.  Só depois de ter percorrido esse caminho é que o aluno da rede publica terá condições de absorver o ensino remoto.

Alerto, mais uma vez, que a educação se encontra abatida, pedindo socorro. E não é de hoje! Esta desigualdade tem se mostrado mais perversa. Por isso, não podemos assistir inerte o desmonte na educação brasileira, sob pena, se não houver atitudes firmes e urgentes, de o País pagar alto preço pelo descaso. Com a palavra, o ministro e os secretários estaduais e municipais de Educação.

*Professor e diretor-presidente do Centro de Integração Empresa-Escola de Minas Gerais (CIEE/MG)

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

VEJA TAMBÉM

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!

FIQUE POR DENTRO DE TUDO !

Não saia antes de se cadastrar e receber nosso conteúdo por e-mail diariamente