COTAÇÃO DE 07/12/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6180

VENDA: R$5,6180

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6500

VENDA: R$5,7830

EURO

COMPRA: R$6,3427

VENDA: R$6,3451

OURO NY

U$1.784,35

OURO BM&F (g)

R$323,23 (g)

BOVESPA

+0,65

POUPANÇA

0,5154%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Opinião Opinião-destaque
Crédito: Freepik

Tilden Santiago*

“Desejo, posso e consigo”: Frase de uma crença havaiana, dita e repetida, com o charme que lhe é próprio por Juliana Paes, na novela das 7, Totalmente Demais, que deve ter ficado no ouvido de todo telespectador atento a palavras contundentes.
Em tempos de coronavírus fechando a humanidade e de confinamento, elas deveriam ser a força motriz de todos os cidadãos da Terra, liberais, neoliberais, socialistas, comunistas, anarquistas, empresários, trabalhadores (intelectual ou Zé da Silva), todos os líderes especialmente os detentores de poder: financeiro, político, midiático e religioso.

PUBLICIDADE

Somos todos navegadores de um mesmo barco! A Terra! Que está à deriva, correndo forte risco de afundar, tanto do ponto de vista sanitário, econômico, político, social, cultural, civilizatório, como ecológico.

Em Minas, a palavra de Juliana Paes está bem em evidência, nas iniciativas tomadas pelo DIÁRIO DO COMÉRCIO e a nata do empresariado mineiro, com adesão de muitos, demonstrando todos consciência de que num momento como esse, cada um tem de agir a partir da convicção de que “posso, desejo e consigo”.

Desde abril e começo de maio, há 2 movimentos interessantes acontecendo em Minas: o primeiro tem como protagonista o DIÁRIO DO COMÉRCIO. O objetivo deste Movimento é acelerar o processo de transformação dos modelos de negócios das relações e da sociedade. Tem como propósito contribuir com o desenvolvimento de Minas.

O ponto de partida é um aprofundamento que já vem rolando da expressão “Capitalismo Consciente”, gerando a articulação de lideranças, executivos, empresários, instituições governamentais e de pesquisa científica, empreendedores e o conjunto da sociedade em torno do tema e na busca de soluções tão prementes para o momento atual. É o que vem sendo explicitado de maneira firme e brilhante sem meias-palavras, pela presidenta do DC, Adriana Muls “Como podemos construir negócios melhores para uma sociedade melhor?”

O Capitalismo Consciente torna-se possível e provável para empresas e sociedade na medida em que ele seja capaz de focar a complexidade do processo de produção e a totalidade dos agentes que dele participam de diferentes formas. O desafio não tem tamanho: como criar valor e bem-estar para todas as partes interessadas em um negócio, como colaboradores, fornecedores, clientes, a própria sociedade, todos os agentes representativos do capital, do trabalho e do consumo.

Deixo para o próximo artigo a consideração do segundo Movimento mineiro, ligado à Faemg. Comentaremos também a conaturalidade do tema, Capitalismo Consciente com a missão do DIÁRIO DO COMÉRCIO e a inspiração do seu fundador, o jornalista, empresário e homem público, o visionário José Costa. Abordarei alguns desafios que estão colocados, a meu ver, para o movimento do Capitalismo Consciente e comentarei também o primeiro seminário on-line de realizado em 19 e 20/5.

*Jornalista, embaixador e sacerdote itinerante

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!