Crédito: Freepik

Leo Cesar Melo*

À medida em que o crescimento econômico e populacional avança para áreas ainda preservadas, a aproximação com espécies animais que carregam patógenos coloca em risco a saúde das pessoas.

Muitos animais são hospedeiros de bactérias e vírus que não evoluem em seus organismos por conta de seu sistema imunológico, porém esses microrganismos afetam os seres humanos, que podem não ter desenvolvido defesas para combatê-los, acarretando epidemias e pandemias, como a do Covid-19, que, segundo especialistas, pode ter iniciado a partir da transmissão do vírus do organismo animal para o ser humano.

O meio ambiente ajuda a equilibrar a qualidade de vida no planeta não só dos animais, mas também dos humanos. Por isso devemos repensar o modo como exploramos os recursos naturais e como a indústria, em todos os seus segmentos, trata a degradação ambiental, fator esse que condiciona o surgimento de doenças.

As empresas podem e devem pensar em como deverão desempenhar seu trabalho, revendo processos produtivos e desenvolvendo um planejamento estratégico sustentável, que paute não só as atividades internas, mas também alinhe com parceiros e fornecedores propósitos que sejam benéficos para o meio ambiente, buscando reduzir e mitigar danos ambientais, mas sem comprometer a viabilidade financeira de suas operações.

Podemos e devemos entender como a natureza funciona e adotar processos que estejam em equilíbrio com o meio ambiente. A Economia Circular, por exemplo, adota uma proposta parecida: reaproveitar tudo o que é gerado em novos processos, reduzindo e até eliminando o descarte. E como isso pode evitar a transmissão de doenças? Com o reaproveitamento de materiais, a necessidade de uso da matéria-prima diminui, o que acarreta na diminuição da exploração dos recursos naturais geradores dessa matéria-prima.

A economia mundial paralisou temporariamente como resultado do que estamos construindo para o futuro. Aproveitar esse momento para repensar a produção e criar estratégias mais eficazes e menos nocivas para o meio ambiente e, consequentemente, para os humanos é fundamental para evitar que situações como esta se repitam. É entender também que somos parte de ecossistemas e que temos por obrigação, pessoal e institucional, cuidar deles.

* CEO da Allonda Ambiental