COTAÇÃO DE 14/05/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,2710

VENDA: R$5,2710

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,2700

VENDA: R$5,4330

EURO

COMPRA: R$6,3961

VENDA: R$6,3990

OURO NY

U$1.843,90

OURO BM&F (g)

R$311,62 (g)

BOVESPA

+0,97

POUPANÇA

0,2019%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Opinião

EDITORIAL | Horizonte de oportunidades

COMPARTILHE

Crédito: Freepik

Enxergar a linha do horizonte, no mundo, é tarefa ainda impossível diante do pouco que a ciência sabe sobre a Covid e, consequentemente, sobre a pandemia, sua duração e, sobretudo, seus efeitos. As perguntas para as quais não existem respostas são cruciais e este é um problema que se coloca para todo o planeta, seja na dimensão sanitária, seja na dimensão econômica e, como muitos já imaginam, diante da perspectiva de que o choque poderá determinar mudanças cruciais no modo de vida e nas relações coletivas.

Um recomeçar não se sabe exatamente quando, mas, se o sofrimento gerar bom senso, numa direção melhor. Tudo isso no entendimento elementar de que, se houver mais equilíbrio, serão também maiores as possibilidades, possibilitando o uso mais inteligente dos recursos e dos conhecimentos que a humanidade acumulou ao longo da existência.

PUBLICIDADE

Resumindo, mesmo que estas ideias não sejam consensuais, existem motivos para acreditar que, vencida a tempestade, haverá espaços para a bonança. Nessa linha, e de forma mais concreta, são dignos de atenção estudos que começam a surgir, relativos à recuperação da economia global, num movimento evidentemente liderado por Estados Unidos e China, cuja retomada do crescimento impactará todo o planeta. E não é para a linha do horizonte que os olhares estão voltados. As duas maiores economias do planeta poderão crescer, ainda este ano, entre 6% e 7%, iniciando um ciclo que poderá perdurar pelos próximos anos, com crescimento da demanda global que, estima-se, pode fazer a “virada” mais rápida e mais forte.

Algo que diz respeito muito diretamente ao Brasil, hoje tão sofrido e vazio de esperanças. As análises que vêm de fora sugerem o contrário, apontando um contexto em que a demanda de commodities agrícolas e minerais será acelerada, com expectativa de valorização substancial de produtos como minério de ferro, petróleo, soja, açúcar e café, além de proteínas animais, produtos que têm grande peso na pauta de exportações brasileira. Uma possibilidade tão real quanto a constatação objetiva de que nos últimos doze meses a valorização da tonelada de minério de ferro chegou aos 100%.

Cabe ao Brasil e aos brasileiros perceberem as oportunidades que estão no horizonte, sabendo fazer as escolhas certas para delas tirar o melhor partido. Algo que diz respeito tanto ao comércio quanto à perspectiva de investimentos, nutrida pelo excesso de liquidez mas limitada pela falta de projetos que sejam ao mesmo tempo seguros e atraentes. Também nesse aspecto a posição brasileira é, ou pode ser, privilegiada, faltando ser capaz de demonstrar ao mundo ser capaz de oferecer um ambiente acolhedor e oportunidades que não estão presentes em outras latitudes.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!