COTAÇÃO DE 02-12-2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6600

VENDA: R$5,6600

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,8130

EURO

COMPRA: R$6,3753

VENDA: R$6,3783

OURO NY

U$1.768,55

OURO BM&F (g)

R$319,92 (g)

BOVESPA

0,4902

POUPANÇA

+3,66%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Opinião
CRÉDITO: ALISSON J. SILVA

As principais entidades representativas do empresariado mineiro mantêm, há alguns anos, um fórum informal, que se reúne pelo menos uma vez por mês e busca construir e desenvolver pautas comuns, de interesse dos próprios empresários, das categorias que representam e da economia regional.

Um movimento muitas vezes sugerido e reclamado neste espaço, em que se procura ressaltar o elementar princípio que ensina que a união faz a força, que o movimento empresarial será mais ouvido a partir do momento que for capaz de falar a uma só voz e alto. Custou, mas esta verdade começa a ser compreendida e, melhor, a dar frutos.

PUBLICIDADE

Estamos falando de ações específicas, conduzidas discretamente e bem ao estilo mineiro, no sentido de dar praticidade à articulação com o governo estadual, buscando colaboração e soluções comuns, sem que pareça haver nessa aproximação qualquer desvio que sugira um sentido desvirtuado, de mera defesa de interesses. Estamos falando de colaboração no seu melhor e mais verdadeiro sentido, em ações em que todos ganham, mas ganha principalmente Minas Gerais.

Diante dos problemas que o Estado enfrenta, e que já foram apontados como de virtual falência, esta aproximação e esta colaboração são cruciais e não será exagerado afirmar que contém as sementes das soluções reclamadas. Por óbvio, os esforços devem ser comuns, consensuais e bem articulados, um entendimento que já existe e parece ser bem acolhido pelo governador.

De Romeu Zema, aliás, não custa lembrar seu discurso em Ouro Preto, no dia 21 de abril, quando reclamou coesão e articulação entre os três Poderes em torno exatamente do objetivo central e comum, começando pela recomposição das finanças estaduais. Teria sido interessante, além de forte naquele momento, uma referência explícita também às forças produtivas, empresários e trabalhadores.

Minas precisa recuperar suas contas, precisa apagar o déficit, precisa sobretudo reencontrar seu protagonismo no espaço político nacional. Em suma, voltar a ser o que sempre foi, o centro e a referência, o que, repetindo, somente será possível a partir da união em torno de objetivos claros e comuns como, por exemplo, recomendou recentemente a Associação Comercial de Minas, com o presidente Aguinaldo Diniz defendendo a agilização do processo de reforma do sistema previdenciário e sugerindo que essa ação se transforme em campanha de todas as entidades, de todos os empresários.

É preciso agir, é preciso mudar e o tempo definitivamente conspira contra quem entende que este processo precisa ser bem definido e acelerado.

Com a palavra os empresários e as entidades que o representam, por natureza aqueles que devem estar na linha de frente dessa mobilização.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!