COTAÇÃO DE 05/03/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6825

VENDA: R$5,6835

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6670

VENDA: R$5,8430

EURO

COMPRA: R$6,7719

VENDA: R$6,7732

OURO NY

U$1.698,69

OURO BM&F (g)

R$310,22 (g)

BOVESPA

+2,23

POUPANÇA

0,1159%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Opinião

EDITORIAL | No limite da fervura

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Crédito: Pixabay

A semana que termina foi, para os brasileiros, diferente em mais de um sentido. Primeiro, Carnaval sem Carnaval e, teoricamente, sem feriados; segundo, com a calmaria política apagada por um deputado federal bolsonarista com ataques diretos e reincidentes ao Supremo Tribunal Federal e seus ministros, defendendo sua remoção e, se não fosse o bastante, reclamando a volta do Ato Institucional número 5.

Tinha que ser Carnaval. Um deputado defendendo o fechamento do Congresso, a volta da ditadura e, preso, dizendo-se, por seus advogados, inocente, alguém que reclama seu direito de liberdade de expressão.

PUBLICIDADE

Cabe esperar que o que começou diferente, com a rápida e contundente reação do Supremo, confirmando por unanimidade a prisão do parlamentar, cujo nome o próprio presidente da Corte esqueceu ao encerrar a sessão, seguida de representação da Procuradoria Geral da República (PGR), também em desfavor do acusado, que na situação específica não tem as prerrogativas parlamentares ordinárias.

Às pressas e ainda na quarta-feira de Cinzas o Congresso Nacional se ocupou exclusivamente do assunto, não faltando acusações individuais ao deputado, que ainda corre o risco de perder o mandato, enquanto nos bastidores tentava-se reativar o Conselho de Ética, na esperança de que este caminho pudesse levar a alguma solução conciliatória, ficando o dito pelo não dito.

Preso em flagrante na madrugada de segunda para terça-feira, o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) conseguiu, mesmo com sua casa em Petrópolis já ocupada pela Polícia Federal, colocar no ar um segundo vídeo, renovando ataques e ameaças.

O bastante para o ministro Alexandre de Morais declarar que todos os limites haviam sido ultrapassados e os ataques, que evidentemente não são isolados, não podem ficar sem resposta. O julgamento na Câmara dos Deputados foi marcado para esta sexta-feira (19) e tudo indicava que a tendência é de que seria mantida a prisão

Definitivamente não pode ser diferente, até porque o que vem acontecendo no Brasil faz lembrar a história que professores costumam repetir, contando que se um sapo for colocado numa panela cuja água vá sendo aquecida aos poucos, ele não reage e acaba morrendo.

No entanto, se for jogado numa panela com água pré-aquecida, reage e pula imediatamente. Uma imagem que se ajusta ao que vem acontecendo no País, repetidos abusos, repetidas ameaças, com as quais não podemos nos acostumar nem aceitar para não repetir o erro do sapo que não percebe que a água foi aquecida além do limite suportável.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

VEJA TAMBÉM

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!

FIQUE POR DENTRO DE TUDO !

Não saia antes de se cadastrar e receber nosso conteúdo por e-mail diariamente