COTAÇÃO DE 26/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,5720

VENDA: R$5,5730

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5900

VENDA: R$5,7230

EURO

COMPRA: R$6,4654

VENDA: R$6,4683

OURO NY

U$1.793,01

OURO BM&F (g)

R$321,20 (g)

BOVESPA

-2,11

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Opinião

Luz vermelha para ministro

COMPARTILHE

Crédito: REUTERS/Adriano Machado

Fossem outras as condições e diferentes hábitos e costumes que estão impregnados na vida pública brasileira e hoje o ministro Ricardo Salles, titular da pasta do Meio Ambiente e uma espécie de sobrevivente entre as figuras mais controversas da alta administração federal, estaria afastado de suas funções.

No mínimo em caráter temporário, até que cheguem ao final investigações da Polícia Federal sobre extração e comércio ilegal de madeira na Amazônia. Não faz muito tempo o então superintendente da Polícia Federal no Amazonas acusou o ministro de conluio com atividades ilegais e produziu como única consequência sua própria demissão.

PUBLICIDADE

Na última quarta-feira a PF voltou à carga e foi mais longe, realizando diligências nas residências de Ricardo Salles em Brasília e São Paulo, além do próprio Ministério e do Ibama, trabalhando com evidências de que o contrabando de madeira, tendo como destinos preferenciais os Estados Unidos e Europa, estaria sendo realizado, no mínimo, com omissão dos órgãos federais que deveriam inibi-lo.

Salles, figura polêmica que ontem mesmo esteve na Polícia Federal em Brasília acompanhado de guarda-costas e com ares de quem pretendia tomar satisfações sobre o inquérito que o atinge, ouviu como resposta que o caso está sob sigilo e é de responsabilidade do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, que determinou a investigação.

Conforme informado, as investigações que desaguaram na operação de quarta-feira começaram em janeiro, tendo como ponto de partida informações de autoridades estrangeiras relativas a possível desvio de conduta de servidores públicos brasileiros em processos de exploração de madeira. Diretamente ao ponto, facilitação de contrabando, o que levou o STF a determinar o afastamento preventivo de dez funcionários do alto escalão do Ibama e do Ministério, além da quebra do sigilo fiscal e bancário do titular da pasta.

A movimentação da Polícia Federal na quarta-feira teve forte repercussão no exterior, de onde partem as mais fortes acusações à expansão do desmatamento no País e ao incremento da extração ilegal de madeira, que atingiu níveis recordes, coincidindo com o desmonte dos organismos de fiscalização e controle e vistas grossas das autoridades do primeiro escalão. Tudo isso com repercussão extremamente negativa para o Brasil, no contexto das políticas ambientais, e tendo como figura central exatamente o ministro Ricardo Salles, que parece ter perdido totalmente as condições de permanecer no cargo.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!