COTAÇÃO DE 23 A 25/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6270

VENDA: R$5,6270

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,8030

EURO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,6750

OURO NY

U$1.792,47

OURO BM&F (g)

R$327,87 (g)

BOVESPA

-1,34

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

exclusivo Opinião Opinião-destaque
Crédito: Charles Silva Duarte

Tito Fantini*

Primeiramente, há que se considerar o volume de milhões de novos consumidores que hoje passaram a ter perfil para financiamento, o que não ocorria antes, com aquelas taxas estratosféricas. Basta lembrar que não se pode comprometer mais do que 30% da renda familiar com a parcela de amortização da dívida, incluindo aí juros e parte do capital.

PUBLICIDADE

É o uso da chamada tabela SAC, que tem as prestações decrescentes e vai mês a mês abatendo parte da dívida. Portanto, se as parcelas agora tendem a ser bem menores, logicamente o comprometimento fica mais ajustado e flexível.

Também muito importante, e expressivo, é a atual situação de nossa taxa Selic, já que é ela que baliza as demais taxas. As aplicações financeiras tradicionais, incluindo aí os Fundos DI, Tesouro Selic, CDIs e Caderneta de Poupança, de agora em diante, sequer irão resguardar o valor nominal de seu dinheiro. Na verdade, de acordo com as previsões, terão rendimento negativo, pois com a Selic em 4,25% (menor valor de sua história) e com inflação prevista de 4,5 (centro da meta) fica fácil antever que não haverá retorno positivo, acentuando a perda de poder de compra da moeda.

As aplicações de risco, como Bolsa de Valores e diversos Fundos disponíveis no mercado, são hoje de alto grau de volatilidade. Basta ver como o coronavírus vem derrubando pregões em todo o mundo. Com o alto grau de globalização do mercado atual, qualquer “espirro” – me perdoe pelo trocadilho – derruba as previsões e o efeito cascata é a desvalorização desses papéis.

Agora, cabe salientar, os imóveis são considerados “Bem de Raiz”. É patrimônio, tangível, incluindo o solo e todas as benfeitorias nele acrescidas, valorizando-se como um todo. Ressalte-se aqui que os investimentos em imóveis proporcionam duas remunerações distintas.

A primeira diz respeito à valorização do bem, naturalmente dependendo do que ocorre em seu entorno. Normalmente, esse processo perdura por 10 a 12 anos de seu lançamento e pode atingir valores altamente consideráveis.

A segunda é a rentabilidade mensal decorrente do aluguel, proporcionando um acréscimo de renda expressivo e seguro. Saliente-se que é o inquilino que responde pelos custos mensais de IPTU e Condomínio da unidade, ficando assim quase como uma renda líquida a somar em seus rendimentos.

Temos agora um mercado de consumidores bem maior que antes, o que se traduz em “maior demanda”. Paralelamente, o mercado de imóveis nunca esteve com os estoques tão baixos, pois os últimos 3 ou 4 anos foram de forte desaceleração do setor, decorrente das gigantescas taxas de desemprego e da maior recessão que o país já atravessou, traduzindo-se assim em “menor oferta”.

Essa equação, por si só, já seria suficiente para provocar altas expressivas no valor dos imóveis. É uma das máximas mais antigas e verdadeiras. É a chamada Lei de Mercado. Entretanto, temos ainda que adicionar aí a falta de atratividade das aplicações financeiras, o que provocará a migração desses recursos para outros mercados, e aí o mercado imobiliário passa a ser a primeira opção (outra vez maior procura), além da entrada em vigor da nova Lei do Uso e Ocupação do Solo de Belo Horizonte, de caráter extremamente restritivo, buscando brecar a verticalização da cidade, fazendo com que o Coeficiente de Aproveitamento de novos empreendimentos se situe em apenas 1,0 sobre a área do terreno (novamente menor oferta).

Portanto, caro leitor, se sua demanda for por moradia, é hora de ir ao mercado. Agora, se for por investimento, também é hora de correr. Vamos às compras?

*Gerente de vendas da Anuar Donato

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!