Crédito: Divulgação-Secretaria de Educação de Oliveira

Rodrigo Paiva*

Os alunos da rede municipal de ensino de Belo Horizonte estão sem aulas há mais de 4 meses. As medidas de distanciamento social são extremamente necessárias para conter o avanço do novo coronavírus, mas o futuro de 202 mil estudantes não pode continuar sendo comprometido. Até o momento, nenhuma alternativa ao ensino presencial foi apresentada.

Questionada, a secretária de Educação disse que as aulas remotas não estão sendo cogitadas. “Não existe previsão de estudo com uso de tecnologia”, afirmou. As incertezas suscitadas pela pandemia não podem ser consideradas um subterfúgio para a omissão.

O governo Zema, diferentemente da Prefeitura de Belo Horizonte agiu rapidamente e adotou o regime letivo remoto. Com o apoio técnico da Prodemge, o Estado lançou uma série de ferramentas para que os impactos da pandemia nas rotinas de aprendizagem fossem mitigados.

A Secretaria de Estado de Educação disponibilizou apostilas com o conteúdo teórico das disciplinas. O Plano de Estudo Tutorado (PET) está sendo distribuído por meios digitais. Já os alunos que não têm acesso à internet estão recebendo o material em mídia física.

A Rede Minas e a TV Assembleia também estão exibindo de segunda a sexta-feira o programa “Se Liga na Educação”. As teleaulas foram divididas por áreas e níveis de conhecimento e estão sendo apresentadas em horários distintos.

Além disso, a Prodemge desenvolveu o aplicativo “Conexão Escola”, que já conta com mais de 1 milhão de downloads. A plataforma permite acessar o PET e as aulas exibidas pela televisão. O aplicativo ainda conta com um chat que facilita a interação entre alunos e professores.

“Sabemos que nada substitui a relação presencial entre alunos e professores em sala de aula. Mas é nossa função garantir a continuidade dos estudos de nossas crianças e jovens mineiros da melhor forma possível”, ressaltou a secretária de Estado de Educação.

A educação e o futuro de milhares de crianças e jovens não podem continuar sendo negligenciados pela Prefeitura. Que os exemplos apresentados pelo Estado sejam seguidos em Belo Horizonte.

*Engenheiro e Mestre pelo MIT