DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,2090

VENDA: R$5,2100

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,1800

VENDA: R$5,3600

EURO

COMPRA: R$6,0756

VENDA: R$6,0768

OURO NY

U$1.813,62

OURO BM&F (g)

R$300,00 (g)

BOVESPA

-3,08

POUPANÇA

0,2446%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Política
Foto: Marcos Corrêa/PR

Brasília – Em seu segundo discurso de abertura da Assembleia-Geral das Nações Unidas, o presidente Jair Bolsonaro afirmou ontem que o Brasil é vítima de uma campanha sobre o meio ambiente baseada em “interesses escusos” com intenção de prejudicar o País e o governo.

“Somos vítimas de uma das mais brutais campanhas de desinformação sobre a Amazônia e o Pantanal”, disse o presidente.

PUBLICIDADE

“A Amazônia brasileira é sabidamente riquíssima. Isso explica o apoio de instituições internacionais a essa campanha, escorada em interesses escusos que se unem a associações brasileiras, aproveitadoras e impatrióticas, com o objetivo de prejudicar o governo e o próprio Brasil”, acrescentou.

Este ano, por causa da epidemia de Covid-19, os discursos dos presidentes à Assembleia-Geral foram gravados em vídeos e encaminhados antecipadamente à Organização das Nações Unidas (ONU).

Mais uma vez, Bolsonaro negou as queimadas na Amazônia, afirmando que a floresta é úmida e não permite fogo em seu interior, e que os incêndios ocorrem no entorno da floresta, causados por índios e “caboclos”, em áreas já desmatadas.

A fala do presidente contraria indícios levantados por órgãos oficiais que mostram focos de incêndio em áreas indígenas demarcadas invadidas por outros grupos e de proteção ambiental que não haviam sido desmatadas. Segundo especialistas, as queimadas costumam ser a última fase do desmatamento, quando toda a madeira de valor é retirada e se usa o fogo para limpar a terra.

Bolsonaro, no entanto, afirmou que seu governo tem uma política de “tolerância zero” contra as atividades ilegais na Amazônia e que sua gestão estaria ampliando o uso de tecnologia para combater os crimes ambientais.

“Os focos criminosos são combatidos com rigor e determinação. Mantenho minha política de tolerância zero com o crime ambiental”, disse.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o número de focos de incêndio na Amazônia está 12% maior que em 2019 até 21 de setembro, alcançando 71.673 focos. O desmatamento cresceu 34% entre agosto de 2019 e julho de 2020.

Ao defender a ação de seu governo no meio ambiente, Bolsonaro destacou a produção agropecuária brasileira que, pelo seu crescimento, atrairia uma campanha contra o Brasil.

“Mesmo sendo uma das dez maiores economias do mundo, somos responsáveis por apenas 3% da emissão de carbono. Garantimos segurança alimentar a um sexto da população mundial, mesmo preservando 66% de nossa vegetação nativa e usando apenas 27% do nosso território para a pecuária e a agricultura – números que nenhum outro país possui”, disse.

“O Brasil desponta como o maior produtor mundial de alimentos. Por isso, há tanto interesse em propagar desinformações sobre o nosso meio ambiente.”

Coronavírus – O presidente usou ainda seu discurso para defender as ações de seu governo no combate à epidemia de Covid-19. No discurso, de pouco menos de 15 minutos – tempo limite pedido pela ONU aos países – Bolsonaro afirmou que defendia, desde o início da epidemia, que o vírus e a economia precisavam ser tratados “simultaneamente e com a mesma responsabilidade”.

Mais uma vez, o presidente alegou que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que deu aos governadores o poder de tomar decisões sobre o fechamento ou não do comércio, indústria e serviços durante a epidemia, o impediu de fazer mais, e creditou à imprensa uma suposta politização do vírus. (Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!