COTAÇÃO DE 24/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,3430

VENDA: R$5,3440

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3800

VENDA: R$5,5030

EURO

COMPRA: R$6,2581

VENDA: R$6,2594

OURO NY

U$1.750,87

OURO BM&F (g)

R$301,00 (g)

BOVESPA

-0,69

POUPANÇA

0,3012%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Política

Lira diz que sistema eleitoral é confiável, mas defende a discussão do voto impresso

COMPARTILHE

Arthur Lira voltou a negar que tenha recebido ameaças de Braga Netto | Crédito: REUTERS/Adriano Machado

Brasília – O presidente da Câmara, Arthur Lira, afirmou ontem que o sistema eleitoral é confiável e o País terá eleições limpas e transparentes não apenas em 2022, mas nos anos seguintes também.

Em entrevista à GloboNews, Lira, no entanto, defendeu a discussão sobre voto impresso, pautada por bolsonaristas na Câmara.

PUBLICIDADE

“Vamos ter eleição em outubro de 2022, como vamos ter em 2024 e 2026, limpas e transparentes. Não há dúvida de que o sistema é confiável, mas parte da população e dos deputados quer discutir isso”, disse.

A proposta defendida pelos bolsonaristas e que está sendo analisada em uma comissão especial na Câmara, prevê que uma versão impressa do voto seja impressa a partir da urna eletrônica e seja guardada em uma urna comum para verificação em casos de dúvidas. Especialistas na área afirmam que a existência dessa segunda urna aumenta, e não diminui o risco de fraudes.

Com avaliação em queda e correndo o risco de não se reeleger, Bolsonaro intensificou os ataques à urna eletrônica, prometendo provas de fraudes, e chegou a dizer que em 2022 pode não haver eleições sem a aprovação do voto impresso.

A proposta, no entanto, neste momento tende a ser derrotada já na comissão especial, sem ir ao plenário da Câmara.

A discussão sobre o voto impresso e as ameaças teriam ultrapassado as bravatas de Bolsonaro e chegado ao ministro da Defesa, Walter Braga Netto, que, de acordo com o jornal Estado de S. Paulo, teria mandado recados a Lira dizendo que sem a aprovação da proposta as eleições não aconteceriam.

Na entrevista, Lira afirmou que “não participou dessa conversa” e avaliou que o próprio Braga Netto teria desmentido o fato. Na verdade, o ministro da Defesa desmentiu que tivesse mandado um recado ao presidente da Câmara, mas não defendeu a realização de eleições em 2022.

Questionado se há risco de um golpe, Lira afirmou que isso não existe.

“Não tem possibilidade de ruptura política e institucional no país, nós não somos qualquer país”, afirmou. “Não há outra maneira de se eleger presidente, deputados, que não seja pelo processo eleitoral. Qualquer outra alternativa não conta com apoio do Congresso.» (Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!