COTAÇÃO DE 20/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,8730

VENDA: R$4,8740

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,9500

VENDA: R$5,0570

EURO

COMPRA: R$5,1492

VENDA: R$5,1504

OURO NY

U$1.846,53

OURO BM&F (g)

R$288,58 (g)

BOVESPA

+1,39

POUPANÇA

0,6441%

OFERECIMENTO

Política

Natal Sem Fome 2021 recebe apoio

COMPARTILHE

Presidente do DC, Adriana Muls, assinou a carta-manifesto de apoio ao Natal Sem Fome 2021 | Crédito: Sarah Torres / ALMG

O presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado Agostinho Patrus (PV), assinou na tarde de ontem a carta-manifesto de apoio à campanha “Natal Sem Fome 2021”. A ação deste ano contará também com o apoio do DIÁRIO DO COMÉRCIO, além de outros importantes veículos de comunicação do Estado.

Organizada pela ONG Ação da Cidadania, fundada em 1993 pelo sociólogo Herbert de Sousa, o “Betinho”, a iniciativa já ajudou mais de 20 milhões de pessoas a terem um Natal digno. A entidade congrega uma imensa rede de mobilização em todo o País e foi responsável pela maior campanha de combate à fome da história da América Latina.

PUBLICIDADE




Por meio de várias ações que estão sendo desenvolvidas no âmbito do Legislativo, a Assembleia vai mobilizar uma rede de parceiros para auxiliar e promover a edição deste ano.

“As crianças voltaram aos semáforos, cada vez mais pessoas estão dormindo nas ruas, falta comida no prato e a fome chegou literalmente aos ossos. Nenhum país civilizado pode aceitar passivamente a miséria”, afirmou Agostinho Patrus ao agradecer a adesão dos órgãos de imprensa à campanha da Ação da Cidadania.

Cestas básicas – Em 2013, o Brasil saiu do Mapa da Fome da Organização das Nações Unidas (ONU), mas a piora rápida dos indicadores sociais desde então levou a reativação da campanha já em 2017.

Por isso, em Minas Gerais, até o próximo dia 17 de dezembro a ALMG vai ajudar a Ação da Cidadania a arrecadar recursos, que serão utilizados para a compra de cestas básicas para a população mais vulnerável. As doações serão recebidas pela Associação Arebeldia Cultural, entidade parceira na execução de ações do Comitê Estadual da Ação Cidadania no Estado.

PUBLICIDADE




A Assembleia também vai recolher diretamente doações em brinquedos novos, em postos de coleta físicos que serão instalados na sede do Legislativo. Esses materiais também serão destinados à Arebeldia.

Assembleia Solidária As ações integram o programa Assembleia Solidária, criado em setembro de 2011 pela ALMG e por entidades parceiras cujo objetivo é engajar pessoas e organizações em causas sociais.

Nessa linha, os veículos de comunicação que também assinaram a carta-manifesto vão ajudar a divulgar a campanha e mobilizar a rede de solidariedade em todo o Estado.

“Com a ajuda de vocês, essa ação ganha ainda mais força em prol daqueles que mais precisam de nossa atenção. Nossa esperança é tocar o coração de todos os mineiros e mineiras”, destacou Agostinho Patrus.

Em seu pronunciamento, o presidente da ALMG citou pesquisa da Universidade federal de Minas Gerais (UFMG), em parceria com entidades alemãs, que estimou que 59,4% dos lares brasileiros sofrem com a insegurança alimentar.

No Estado, segundo levantamento da Fundação João Pinheiro, mais de 5 milhões de mineiros vivem na pobreza ou na extrema pobreza, isso mesmo antes da pandemia, conforme lembrou o parlamentar.

“Seis a cada dez brasileiros passam fome ou se alimentam precariamente. E depois da tempestade, veio o furacão”, lamentou Agostinho Patrus.

Força Família – O presidente da ALMG lembrou as diversas iniciativas da ALMG visando ao combate da pobreza e a promoção da dignidade dos mineiros, como a aprovação do auxílio Força Família.

Ao lembrar o legado literário da escritora mineira Carolina Maria de Jesus, que relatou seu drama pessoal ao passar fome, Agostinho Patrus ainda condenou o que classificou como “condenação ética da miséria” promovida, segundo ele, por quem é abastado financeiramente, mas pobre de espírito e de empatia.

“Infelizmente, é senso comum a criminalização da miséria. Esses nunca souberam o que é a vertigem da fome, conforme escreveu Carolina de Jesus. Chegaram ao ponto de dizer que o auxílio criado por esta Casa será gasto num boteco. A que ponto chegamos”, criticou.

Pressa Além de dezenas de deputados, a Reunião Especial de Plenário contou também com a participação de convidados e foi finalizada com apresentação musical do cantor Maurício Tizumba, embaixador da campanha Natal Sem Fome.

Um dos convidados foi a coordenadora do Comitê Mineiro da Ação da Cidadania, Danusa Carvalho, que lembrou a célebre frase cunhada por “Betinho”. “Quem tem fome, tem pressa. É um desafio retomar uma campanha desse porte, mas com a solidariedade de todos, vamos ter sucesso”, disse.

Segundo dados divulgados pela Ação da Cidadania, 116,8 milhões de brasileiros vivem com algum grau de insegurança alimentar, 19,1 milhões de brasileiros passam fome no Brasil e, ainda, 11,1% dos domicílios chefiados por mulheres passam fome no Brasil.

Diante desse quadro, o vice-presidente do Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão de Minas Gerais, Carlos Rubens Doné, reforçou que é preciso “virar esse jogo”.

“Estamos perdendo, e de goleada, mas ainda dá tempo. Vamos ser abençoados por Betinho onde ele estiver. Para ser solidário, basta imaginar o que é acordar todo dia de manhã e não saber se vai conseguir comer. Praticar cidadania é praticar a solidariedade de todas as formas”, cobrou Carlos Doné. (Com informações da ALMG)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!