COTAÇÃO DE 18/06/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,0680

VENDA: R$5,0690

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,0370

VENDA: R$5,2330

EURO

COMPRA: R$5,9716

VENDA: R$5,9733

OURO NY

U$1.764,31

OURO BM&F (g)

R$286,98 (g)

BOVESPA

+0,27

POUPANÇA

0,2446%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Política zCapa

Pacto federativo pode transferir até R$ 500 bi a estados e municípios

COMPARTILHE

Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil

As mudanças no pacto federativo devem transferir a estados e municípios entre R$ 400 bilhões e R$ 500 bilhões nos próximos 15 anos. A informação foi divulgada nesta terça-feira (5) pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

Durante cerimônia de entrega de um pacote com três propostas de emenda à Constituição (PEC) que tratam de reformas econômicas que atingem os governos locais, o presidente Jair Bolsonaro disse que, após a reforma, os recursos serão destinados a políticas públicas nas áreas de saúde, educação, saneamento e segurança.

PUBLICIDADE

“Eles, lá embaixo, nos estados e municípios, decidirão o que fazer melhor do que muito de nós, porque eles vivem os problemas do dia a dia na sua base”, disse o presidente. “Nós gostaríamos de continuar recebendo a visita de prefeitos e governadores, mas a título de visita apenas e não para vir nos pedir algo orçamentário. Isso [recursos] já está garantido nessa emenda à Constituição”

O ministro Paulo Guedes explicou que o objetivo é modernizar o Estado brasileiro para fazer as políticas públicas de forma descentralizada, garantindo as receitas.

“O pacto tem várias dimensões, tem a consolidação de uma cultura fiscal, cultura de austeridade e sustentabilidade financeira. Na verdade, nós vamos garantir finanças sólidas para a República brasileira. Ao mesmo tempo, estamos descentralizando recursos para estados e municípios de forma a fortalecer a federação brasileira. As outras dimensões são auxiliares como a reforma administrativa, como o estado de emergência fiscal, como as privatizações”, explicou.

Sobre o calendário para tramitação das PECs,  Alcolumbre disse que deverá ser definido nesta quarta-feira (6) em uma reunião na qual espera contar com a participação dos 81 senadores “para recepcionar oficialmente as três propostas”.

A expectativa do governo é que o pacto seja aprovado até meados do ano que vem.

(Agência Brasil)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!