Cotação de 03/08/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,1920

VENDA: R$5,1930

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,1930

VENDA: R$5,3470

EURO

COMPRA: R$6,2205

VENDA: R$6,2217

OURO NY

U$1.810,36

OURO BM&F (g)

R$305,16 (g)

BOVESPA

+0,87

POUPANÇA

0,2446%%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Política

Poder Executivo propõe alterar rol de despesas no Orçamento

COMPARTILHE

Crédito: Paulo Whitaker/Reuters

Brasília – O Poder Executivo encaminhou ao Congresso Nacional uma proposta para alterar o rol de despesas previstas no Orçamento de 2020 que poderão ser pagas a partir da emissão de títulos públicos. A justificativa é a pandemia do novo coronavírus.

A proposta (PLN 25/20) propõe alteração que permitirá o remanejamento de recursos a fim de quitar gastos correntes (do dia a dia) que foram condicionados à emissão de crédito suplementar para contornar a chamada ‘’regra de ouro’’, prevista na Constituição.

PUBLICIDADE

Segundo Guedes, objetivo é aumentar a flexibilidade da gestão orçamentária

A “regra de ouro” proíbe a emissão de títulos em montante superior ao das despesas de capital (investimentos e amortizações). Para isso, é necessária autorização da maioria absoluta do Congresso – votos de pelo menos 257 deputados e 41 senadores.

Neste ano, a autorização para gastar um montante de R$ 343,6 bilhões foi pedida pelo Poder Executivo (PLN 8/20), aprovada pelo Congresso e sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro (Lei 14.008/20). Agora, o Executivo quer outra autorização, desta vez para remanejar a destinação dos recursos relacionados a essa emissão de títulos.

“Reitero a importância deste projeto de lei para aumentar a flexibilidade da gestão orçamentária, especialmente no contexto de combate aos efeitos da calamidade pública decorrente da pandemia do Covid-19”, escreveu o ministro da Economia, Paulo Guedes.

O ministro afirmou que “outras matérias ocuparam a agenda legislativa, esvaziando o sentido original do dispositivo” no Orçamento e, “adicionalmente, o novo contexto impactou as projeções de determinadas despesas obrigatórias, em volume não previsto quando da elaboração da [atual] lei orçamentária”, daí a necessidade do novo ajuste.

Remanejamento – Do crédito suplementar já aprovado para contornar a “regra de ouro”, cerca de R$ 213,7 bilhões correspondem a benefícios do Regime Geral de Previdência Social (RGPS), como aposentadorias e pensões. Equivalem 31,5% dos R$ 677,7 bilhões previstos no Orçamento de 2020. Sem isso, o dinheiro para o RGPS só seria suficiente até agosto.

Outros R$ 500 milhões do crédito suplementar estavam direcionados para o pagamento dos benefícios do Bolsa Família. Na pandemia, as parcelas não foram pagas porque acabaram substituídas pelo auxílio emergencial de R$ 600, que já soma R$ 254 bilhões em créditos extraordinários – contabilizados, portanto, fora do teto dos gastos.

Se aprovado o PLN 25/20 como pede o Executivo, parte das dotações originais do Bolsa Família, por exemplo, poderão ter seus recursos remanejados para outras finalidades, dentro do limite do teto dos gastos. Em junho, o governo tentou transferir, sem sucesso, quase R$ 84 milhões desses benefícios a fim de atender demandas de propaganda do Planalto.

Tramitação – A proposta deve ser agora analisada pela Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso Nacional, que ainda não foi instalada nesta sessão legislativa. Depois seguirá para discussão e votação por deputados e senadores em sessão conjunta do Congresso.

Ato conjunto da Câmara dos Deputados e do Senado regulamentou a deliberação remota, pelo Congresso, de propostas de leis orçamentárias enquanto durar o estado de calamidade pública devido à pandemia do novo coronavírus, em casos de urgência ou relacionados ao combate da Covid-19 e com apoio de líderes partidários. (Agência Câmara)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!