Crédito: Edernon Marcos Pereira / Governo de Minas Gerais

A entrega do Prêmio Nacional do Turismo, promovido pelo Ministério do Turismo nesta quarta-feira (4), em Belo Horizonte, trouxe reconhecimento a duas iniciativas inovadoras da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult). Os projetos “ICMS Critério Turismo” e o “Observatório do Turismo de Minas Gerais” levaram, respectivamente, a prata e o bronze nas categorias “Fortalecimento da Gestão Integrada e Descentralizada do Turismo” e “Gestão de Dados e Monitoramento do Turismo”.

O evento, que integra a Semana Nacional do Turismo, foi aberto pelo ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, e contou com a presença de secretários de Turismo, integrantes do trade turístico, gestores públicos e privados, além de outros convidados. Mais três projetos mineiros foram premiados: “Circuito Sapucaí de Gastronomia e Arte”, com o troféu prata; “Redes Colaborativas de Turismo do Jequitinhonha e Mucuri”, com o troféu bronze; e “Além da Extração – Conceição do Mato Dentro”, também com o bronze.

O secretário de Cultura e Turismo de Minas Gerais, Marcelo Matte, enfatizou o potencial da atividade turística para a recuperação econômica do Estado. “O turismo tem papel fundamental para a geração de empregos e renda. Estamos investindo em um plano de divulgação que irá promover os atrativos do estado para turistas de todo o Brasil”. Matte lembrou que 62% do patrimônio histórico do País está em Minas, citando outros diferenciais do Estado que são “a gastronomia rica e diversificada, as belezas naturais, a segurança para os turistas e, o mais importante, o bom coração das pessoas daqui. Elas recebem o turista com carinho, com afeto, isso não se vê em outros lugares”, afirmou o secretário.

Caminhos estratégicos – Para a subsecretária de Turismo da Secult, Marina Simião, ter Minas Gerais representada com iniciativas em uma das principais premiações do setor no Brasil é motivo de orgulho pelas boas práticas implementadas. “A Secult é vencedora em duas categorias do prêmio. Isso demonstra que estamos no caminho certo. Além disso, reforça que as ações descentralizadas da atividade turística conferem diretrizes estratégicas para trabalharmos a atividade turística, principalmente para tornar o turismo em Minas Gerais mais reconhecido e economicamente significante para o Estado”, afirmou Marina Simião.

Durante a primeira parte da premiação, foram destacadas 33 iniciativas em 11 categorias diferentes, criadas para retratar a diversidade do setor. Ao todo, foram 418 candidaturas, de entes públicos, privados e do terceiro setor vindas de todas as partes do Brasil. Na última parte foram premiados profissionais da Academia, Governo (Dirigentes e Técnicos), Empreendedores de Médio e Grande Porte, Micro e Pequenos Empreendedores, Organizações não Governamentais, Mídias Sociais e Imprensa. Foram 200 profissionais inscritos, por eles mesmos ou indicados por terceiros, em 8 categorias.

Boas práticas em destaque – O encontro do Programa Minas Recebe, que também ocorreu durante a Semana Nacional do Turismo, foi encerrado na quarta-feira (4) com a entrega do certificado “Boas Práticas do Turismo 2019” pela Secult aos receptivos e prefeituras que desenvolveram atividades arrojadas para alavancar o setor em suas regiões.

O mapeamento foi realizado por meio do Censo do Turismo Mineiro 2019. Dos 596 municípios que responderam, foram identificadas 131 boas práticas. As iniciativas selecionadas pela equipe técnica da Secult foram validadas junto às Câmaras Temáticas do Conselho Estadual de Turismo, o que totalizou 38 iniciativas premiadas. Todas receberão certificado e terão suas atividades publicadas no e-book e portfólio “Boas Práticas do Turismo em Minas Gerais”.

Entre os receptivos presentes no Minas Recebe e que receberam o certificado em mãos estão “Desbrava Minas”, de Ouro Preto, “Primotur”, de Belo Horizonte, “Inhangatu Experiências ao Ar Livre”, de Belo Horizonte, “Sauá Turismo”, de Conceição do Ibitipoca e “Roteiros do Velho Chico”, de Itacarambi. Já os órgãos públicos municipais reconhecidos são dos municípios de Cambuí, Uberaba, Serro e Boa Esperança.

Algumas das iniciativas de destaque foram a divulgação inovadora de atrações turísticas, roteiros pensados na experiência gastronômica e na interação dos visitantes com a produção local, venda dinâmica e integrada de roteiros e ressignificação de potenciais atrações para mobilizar o turismo na região.

Novas experiências – A programação do encontro do Minas Recebe incluiu a cerimônia de assinatura do Acordo Caparaó entre as Secretarias Municipais de Turismo dos municípios de Espera Feliz (MG) e Dores do Rio Preto (ES). A parceria tem o objetivo de promover, por meio de experiências gastronômicas, a Região do Caparaó, compreendida por municípios de Minas Gerais e Espírito Santo.

“Oficializar a conexão desses dois estados em prol da promoção da Região Caparaó por meio da gastronomia é muito importante e certamente será um dos principais vetores para impulsionar o turismo na região”, disse o secretário de Estado adjunto de Cultura e Turismo de Minas Gerais, Bernardo Silviano Brandão Viana.

O Minas Recebe também foi palco do anúncio de que Belo Horizonte e Inhotim sediarão a edição 2020 do “Experiência Braztoa“, evento promovido anualmente pela Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa) para capacitar agentes de turismo de todo País.

“A intenção do Experiência Braztoa é focar no turismo de experiências, daquelas que ficam gravadas na memória dos visitantes. Essa é uma grande oportunidade para os receptivos mostrarem o que eles têm de melhor para oferecer”, disse o presidente da Braztoa, Roberto Nedelciu. (Da Redação)