COTAÇÃO DE 17/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,2820

VENDA: R$5,2820

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3100

VENDA: R$5,4500

EURO

COMPRA: R$6,2293

VENDA: R$6,2322

OURO NY

U$1.754,86

OURO BM&F (g)

R$298,96 (g)

BOVESPA

-2,07

POUPANÇA

0,3012%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Agronegócio
O faturamento bruto do café em Minas Gerais é estimado em R$ 17,29 bilhões neste ano | Crédito: REUTERS/Paulo Whitaker
Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

Em Minas Gerais, com estimativas de resultados positivos tanto nas culturas agrícolas como pecuárias, o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de 2020, de acordo com dados atualizados até maio, deve ter uma expansão de 17,6% frente a 2019, com o faturamento bruto avaliado em R$ 75,2 bilhões.

Somente na agricultura – impulsionada principalmente pelo café – a alta está estimada em 19,9%. O VBP da pecuária tende a aumentar 13,7%. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).

PUBLICIDADE

De acordo com o subsecretário de Política e Economia Agropecuária da Seapa, João Ricardo Albanez, o resultado positivo se deve a maior produção agrícola e à valorização dos preços de importantes commodities como o café, soja e milho. Na pecuária, o bom desempenho dos bovinos contribuiu para a expansão dos resultados. As crescentes exportações, principalmente para a China, elevaram a demanda e promoveram a valorização dos preços da carne bovina.

“O VBP de Minas Gerais apresentou uma estimativa muito positiva para 2020. Este ano, o clima contribuiu para uma safra recorde de grãos e para uma produção maior de café. Além disso, os preços estão valorizados. Na pecuária, a demanda internacional contribuiu para a valorização dos preços e um resultado positivo do setor”, explicou.

Ainda segundo Albanez, o desempenho favorável está ligado, também, à demanda maior proveniente do mercado externo. Devido à pandemia do novo coronavírus, os estoques foram reduzidos e os países que estão superando a crise estão se reabastecendo.

“A China foi o primeiro país a enfrentar a pandemia e o primeiro a superar e, agora, está voltando ao mercado em busca de produtos para abastecer os estoques. O Brasil e Minas Gerais têm condições de atender a esta demanda. Isto também já está acontecendo em alguns países da Europa, o que é positivo para os resultados do agronegócio”, destacou.

De acordo com o levantamento, com base nos dados de janeiro a maio, o VBP das lavouras foi estimado em R$ 48,25 bilhões em 2020, aumento de 19,9% quando comparado com os R$ 40,2 bilhões registrados em 2019.

A produção de café, que responde por 35,8% do VBP das lavouras mineiras, deve apresentar um faturamento bruto de R$ 17,29 bilhões em 2020. Se concretizado, o valor será 53% superior aos R$ 11,3 bilhões registrados em 2019. Neste ano, a produção de café em Minas Gerais, segundo os dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), deve somar entre 30,7 milhões de sacas e 32 milhões de sacas.

Os números representam incremento entre 25,1% e 30,7%, respectivamente, em relação à temporada anterior.

“Ao longo de maio, os preços do café se mantiveram valorizados e teremos uma produção maior, o que contribuiu de forma positiva para o VBP”, disse Albanez.

Resultado positivo também é esperado no VBP da soja, que pode alcançar o valor de R$ 8,6 bilhões em 2020, alta de 25,5% frente a 2019 e respondendo por 17,8% do VBP das lavouras mineiras. Para o milho, a estimativa de faturamento bruto é de R$ 6 bilhões, avanço de 27,5% frente ao valor registrado em 2019, que foi de R$ 4,7 bilhões.

Para o feijão, a expectativa não é diferente. A estimativa é de que o faturamento, em 2020, fique em R$ 2,1 bilhões, ante os R$ 2 bilhões registrados em 2019. A elevação será de 4,1%. Para a produção de banana, a projeção é de VBP 1,3% maior, com a cultura avaliada em R$ 1,7 bilhão.

Já o faturamento esperado na produção de cana-de-açúcar é de R$ 6,7 bilhões, o que, se alcançado, ficará 5% inferior aos R$ 7,1 bilhões registrados em 2019. O produto responde por 14% do VBP das lavouras mineiras, sendo o terceiro maior faturamento na agricultura, atrás apenas do café e da soja.

Queda de 25% foi estimada para a receita da batata inglesa. A cultura foi avaliada em R$ 2,1 bilhões. Em 2019, o faturamento chegou a R$ 2,8 bilhões. O VBP do algodão herbáceo, R$ 1 bilhão, deve retrair 7,5%. Na laranja, o faturamento estimado é de R$ 486 milhões, queda de 6,5%.

Pecuária – A expectativa para o VBP da pecuária de Minas Gerais para 2020, com base nos dados até maio, é de um aumento de 13,7% em relação a 2019, com o faturamento bruto da atividade projetado em R$ 26,9 bilhões, ante os R$ 23,7 bilhões registrados no ano passado.

No setor, o principal destaque é a produção de bovinos, cujo faturamento foi estimado em R$ 9,1 bilhões, alta de 16,6% frente aos R$ 7,8 bilhões de 2019.
A produção de ovos também tende a encerrar o ano com resultados positivos.

A projeção é de um aumento de 15,1% e VBP em R$ 1,3 bilhão. O VBP dos suínos para 2020 foi estimado em R$ 2,4 bilhões, porém, como não foi calculado em 2019, não é possível comparar o desempenho. Em relação a 2018, o faturamento dos suínos está 23,6% maior.

Já a produção de leite deve apresentar queda de 3,8% no VBP, fechando o ano com faturamento em R$ 9,1 bilhões. O VBP da produção de frangos foi calculado em R$ 4,8 bilhões, valor 5,2% menor que os R$ 5 bilhões registrados em 2019.

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!