A Case IH está investindo em máquinas melhores | Crédito: Divulgação

Os investimentos em máquinas cada vez mais eficientes, precisas, com autonomia e de alto desempenho têm sido o foco da Case IH para proporcionar melhores resultados aos produtores rurais.

Mesmo com a pandemia do Covid-19, as expectativas em relação ao mercado de atuação da empresa são positivas, uma vez que o agronegócio continua apresentando bons resultados e as projeções são de alta demanda por alimentos no mundo.

De acordo com o vice-presidente da Case IH para a América do Sul, Christian Gonzalez, 2020 tem sido uma ano atípico e marcado por muitas incertezas. O ano também é o primeiro do novo ciclo de crescimento da Case IH, que trabalha com projetos de investimentos, lançamentos de novas máquinas e expansão no mercado.

Em setembro de 2019, a companhia anunciou o investimento global de US$ 5,6 bilhões para os próximos cinco anos e um crescimento médio do mercado de 5% ao ano.

“O Agro não para e a Case IH também não. Este foi um início de ano muito atípico em função da pandemia, com muitas incertezas, mas vem se mostrando um ano muito forte para a agricultura e para a Case IH. Estávamos em uma trajetória de crescimento, que não foi interrompida e será mantida”, afirmou.

Para os próximos anos, as estimativas são de expansão. Dentre os fatores que vão estimular está a pujança do agronegócio nacional. De acordo com Gonzalez, uma maior parcela de produtores de grãos está vendendo a safra com dois anos de antecedência, o que mostra uma demanda forte pelos produtos.

“A China está enfrentando chuvas intensas e alagamentos, o que vai comprometer a produção. Nos Estados Unidos, a tendência é de uma produção menor. Desta forma, estoques globais baixos e a comercialização antecipada das duas próximas safras irão estimular nosso setor e devemos encerrar o ano com um leve crescimento nas vendas em relação ao ano passado”, disse.

Balanço – Em relação aos resultados, no acumulado do primeiro semestre de 2020, frente a igual período de 2019, foi registrado aumento de 6% no volume de tratores comercializados no varejo no País, sendo o resultado o maior dos últimos seis anos. No setor de colheitadeiras, a alta foi de 30%, a maior dos últimos sete anos e a segunda maior de vendas da história da marca.

“Terminamos 2019 em alta e entramos em 2020 a todo vapor. Apesar das incertezas, da paralisação temporária das atividades e do reajuste dos protocolos de segurança em função da pandemia, as coisas foram se ajustando e o desempenho do agronegócio se mostrando muito forte. Em um ano que começou com muitas incertezas e complicado, os números demonstram nossa força e que estamos no caminho certo”, avaliou.

Para o segundo semestre, as estimativas são positivas e a marca inicia o período com o lançamento de máquinas voltadas para o plantio, manejo e colheita da safra.

“Em termos de lançamento, este é um ano importante para nossa história. São quatro lançamentos fundamentais. Estamos renovando toda a nossa frota de colheitadeiras, com muitas novidades. Também temos uma nova linha de plantadeira de alta performance e o novo pulverizador. São lançamentos que estavam nos planos e que estamos concretizando”, destacou.

Agricultura digital Durante a coletiva, Gonzalez chamou a atenção para o maior uso da agricultura digital, que está em constante aperfeiçoamento e é um produto fundamental para a busca de melhor produtividade, de inovação e de tecnologia. Segundo Gonzalez, a agricultura digital é a utilização dos dados das fazendas de forma inteligente, sendo que grande parte vem das máquinas e implementos utilizados, que são grandes produtores de informação.

“Através da conectividade, os bilhões de dados coletados são processados, armazenados na nuvem e analisados. Com a utilização de máquinas cada vez mais inteligentes, como os lançamentos da Case IH, o produtor consegue melhorar as aplicações”.

São três os pilares da agricultura digital trabalhados pela empresa. Um deles é o monitoramento da frota, feito com a utilização dos dados gerados, com foco em performance e eficiência da frotas e máquinas. Podendo reduzir em 30% o tempo de inatividade. Também tem a gestão agronômica, na qual o foco está na sustentabilidade financeira da fazenda e são levados em conta decisões sobre o espaçamento, utilização de sementes, o que será plantado, entre outras. Essa iniciativa pode gerar ganhos de até 20% em produtividade.

O terceiro pilar é o gerenciamento de dados gerados, que podem ser coletados e trabalhados junto às empresas parceiras para troca de dados e para promover melhorias. Na Case IH, todos esses pilares são trabalhados com a plataforma ConectarAgro, que pode ser acessada por celulares e computadores. Hoje já são 5,1 milhões de hectares cobertos em 218 cidades brasileiras e atendendo a 50 mil propriedades.

“Existe uma demanda por conectividade no campo e ela é muito importante. Tenho certeza que vamos avançar muito ainda para que o campo fique cada vez mais conectado”, completou.

Novidades vão do plantio à colheita

Os lançamentos feitos pela Case IH vão do plantio à colheita. A plantadeira Fast Riser 6100 é dobrável e com menos pontos de lubrificação. O produto permite a uniformidade das plantas, da primeira à última linha, uma vez que tem um sistema de distribuição de peso nas asas.  Desta forma, a máquina, além de cobrir mais hectares por dia, garante a qualidade da safra mesmo em janelas mais curtas.

Outro lançamento é o pulverizador Novo Patriot 350, que possui vão livre de 1,73 metros, permitindo uma amplitude da altura de barra de 0,55 metro a 2,5 metros, que atende a culturas mais altas, como milho e cana-de-açúcar, durante todas as etapas do ciclo, garantindo precisão em cada gota independentemente da velocidade.

Também foi lançada a colheitadeira Axial-Flow Série 150, que conta com nova transmissão com acionamento eletrônico de quatro velocidades, o que assegura mais agilidade nas operações e maior conforto, além de novo eixo dianteiro que traz maior robustez. Essa nova linha de máquinas é indicada para todo perfil de produtores.

Já o quarto lançamento, a colheitadeira de grande porte Axial-Flow Série 250, vem com sistema inteligente de regulagem automática. As colheitadeiras Axial-Flow Série 250 Automation AFS Harvest Command têm quatro modos de colheita, que proporcionam mais simplicidade na operação e aumentam a produtividade.

Com 16 sensores que coletam dados do sistema industrial, o Automation se autorregula e encontra o ponto ótimo de trabalho para cada situação. O sistema de automação real controla automaticamente nove operações da colheitadeira sem necessidade de intervenções do operador.