As culturas de soja e milho estão entre as principais atendidas pelos produtos da companhia | Crédito: Inae Riveras/ Reuters

Os preços valorizados das commodities e a demanda crescente por alimentos têm estimulado os negócios na Satis, empresa especializada em produtos de nutrição vegetal foliar. Com sede em Araxá, região do Alto Paranaíba em Minas Gerais, somente no primeiro trimestre do ano-safra 2020/21 (julho a setembro), as vendas da empresa cresceram 50% frente a igual período do ano passado. Com a elevação nos negócios, a tendência é de encerrar 2020 com faturamento 15% superior.

Diante de um mercado aquecido e a perspectiva de crescer, a Satis vem mantendo investimentos anuais em torno de 5% do faturamento, que, por questões estratégicas, não é divulgado. A empresa está estruturando um campo experimental, em Araxá, onde estão sendo aportados cerca de R$ 1,5 milhão. O objetivo é realizar pesquisas e desenvolver soluções.

De acordo com o gerente Comercial da Satis, Álvaro Macedo, as vendas estão em alta. Em setembro, por exemplo, as vendas foram recordes, com a comercialização crescendo 129% frente a igual mês do ano passado. Em outubro, a elevação chegou a 13%.

“A nova safra foi iniciada em julho e a demanda já foi maior. Este ano, incorporamos uma nova linha de produtos biológicos, e essa linha tem nos ajudado a registrar um crescimento realmente muito amplo”, destaca.

Por comercializar uma linha focada na nutrição e proteção de plantas – o que favorece à produtividade, quando a cultura é bem administrada -, com o mercado aquecido pelas commodities, a tendência é de que os produtores invistam para terem melhores resultados na safra.

“Estamos vivendo um momento muito bom em relação ao mercado. Com o dólar valorizado e a demanda pelas commodities em alta, estamos registrando preços históricos nos mercados da soja e do milho. Os preços do café e feijão também estão valorizados. De modo geral, o agronegócio, com exceção de frutas e flores, que foram mais impactados, está em um bom momento. Isso estimula os investimentos por parte dos produtores e, consequentemente, os nossos negócios”, explica.

Com a demanda em alta, apesar das incertezas do mercado global por conta da pandemia de Covid-19, a Satis ainda mantém a expectativa de fechar o ano fiscal com elevação de 15% no faturamento. Dentre as principais culturas atendidas pela empresa estão a soja, o milho, o feijão, café, hortifrutigranjeiros e algodão. A empresa possui mais de 100 produtos registrados, comercializados nas linhas Especial, Vita, Aplik+ e Linha Bio.

Empresa investe em campo experimental em Araxá

Para manter uma oferta de produtos que sejam compatíveis com as necessidades dos produtores, oferecer novas tecnologias e soluções ao agronegócio, a Satis investe constantemente em pesquisas.

Atualmente, a empresa está concluindo a estruturação de um campo experimental na Fazenda Novo Horizonte, pertencente à Satis e também localizada em Araxá. A área conta com cerca de sete a oito hectares, onde serão feitos estudos com produtos e tecnologias da marca aplicados em diversas culturas, visando ao melhor desempenho das lavouras. Os investimentos no campo experimental giram em torno de R$ 1,5 milhão.

Dentre os estudos que já foram iniciados, estão sendo feitas pesquisas para avaliar as variedades de café mais tolerantes às variações climáticas, análises do espaçamento adequado ao desenvolvimento e da lâmina d´água necessária para melhor irrigação. A partir dos resultados, a Satis poderá criar novas soluções em nutrição vegetal e/ou novos protocolos de aplicação para seus produtos já oferecidos no mercado a fim de contribuir para um melhor desempenho dessas variedades avaliadas.

“Nesta área, a Satis está desenvolvendo uma estrutura que também receberá clientes que poderão conhecer os estudos. Dentro da fazenda, há uma área destinada somente à pesquisa. Um dos espaços é cultivado com café, com variedades e ensaios diversos, como preparação de solo, adubações, e teremos trabalhos de nutrição via folha. A área também será usada para pesquisas voltadas para a soja, milho e feijão”, diz o gerente Comercial da Satis, Álvaro Macedo.