COTAÇÃO DE 22/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,3030

VENDA: R$5,3040

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3100

VENDA: R$5,4600

EURO

COMPRA: R$6,1939

VENDA: R$6,1967

OURO NY

U$1.768,10

OURO BM&F (g)

R$301,58 (g)

BOVESPA

+1,84

POUPANÇA

0,3012%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Agronegócio exclusivo
Atomic Agro quer alavancar negócios B2C
CEO da Atomic Agro, Bruno Matozo percebeu necessidade de produtores por mais serviços para o campo - Crédito: Divulgação

Vencido o primeiro ciclo de investimento, a Atomic Agro – startup sediada em Uberlândia, no Triângulo Mineiro – entra em uma nova rodada de aportes para alavancar a vertical de negócios B2C da plataforma.

No fim de 2018, os R$ 3 milhões aportados pelo Capital Lab tirou a empresa do papel e garantiu uma base com mais de 3 mil produtores cadastrados, com uma área produtiva somada que ultrapassa os 1,3 milhão de hectares até aqui. O próximo objetivo, com os novos investimentos, é atingir 11,5 mil usuários até o primeiro semestre de 2021, chegando a 3,5 milhões de hectares.

PUBLICIDADE

Trabalhando há anos em consultoria de negócios, o CEO da Atomic Agro, Bruno Matozo, detectou uma necessidade dos médios e pequenos produtores rurais: dados e serviços que ampliam a produtividade e geração de negócios.

Independentemente do setor ou do porte da empresa, a informação sempre foi um ativo de grande valor e, de modo geral, ganhou ainda mais importância com o avanço tecnológico e mudanças na dinâmica dos mercados. E essa realidade se repete na agricultura.

A Atomic coleta os dados dentro da sua própria rede de cadastrados, de forma confidencial, que são devolvidos aos próprios produtores para que eles tomem as melhores decisões. São dados como a escolha de produtos e insumos que têm melhor performance em determinadas regiões, surgimento de pragas e doenças e produtividade de cada variedade dos grãos naquela safra.

A startup também oferece dados e cotações de câmbio e mercado futuro em tempo real, melhores condições comerciais na compra de insumos, equipamentos, sementes e defensivos, negociações especiais em taxas de financiamento de crédito e um exclusivo sistema de comercialização, que conecta quem quer comprar com quem quer vender.

Usando como média o custo de R$ 3 mil por hectare plantado, o potencial de negócio da startup com 3,5 milhões de hectares captados é de R$ 1,05 bilhão, podendo o valor variar de acordo com a cotação do dólar.

“Em 2018, criamos a empresa e recebemos um aporte de R$ 3 milhões do Capital Lab. Agora, partimos para uma nova rodada de investimentos. Atualmente, nosso foco está sobre a soja e o milho, mas já abrimos para outras culturas como o café e o algodão. Vamos fortalecer o nosso trabalho de intermediação entre os agricultores e fornecedores de serviços e produtos. A estimativa é de que essa vertical venha a responder por 80% do nosso faturamento já no fim do ano”, explica Matozo.

No Brasil, segundo dados da Scot Consultoria, os pequenos e médios produtores, com fazendas de até 2,5 mil hectares, são responsáveis por 70% dos alimentos produzidos no País e por cerca de 40% do Valor Bruto da Produção (VBP).

Minas Gerais é o segundo mercado da Atomic Agro, atrás do Paraná. Apesar da força do agronegócio mineiro e da origem da empresa no Estado, o perfil das propriedades – com área média de 290 hectares – acabou deslocando o principal mercado para o Sul.

Mercado promissor – Assim como a própria plataforma, o mercado de agtechsstartups que criam soluções para ampliar a produtividade no campo – é um dos mais promissores. Em 2018, de acordo com o estudo AgriFood Tech Investing Report, o segmento captou US$ 17 bilhões, valor que representa um crescimento de 43% em relação a 2017.

“Viramos um hub de serviços e soluções. Sendo uma empresa independente, podemos levar até os produtores instituições às quais eles não têm acesso. Podemos suprir esse gap de informações e intermediar esse contato. A previsão é de que fecharemos 2020 com um faturamento de R$ 3 milhões”, pontua o CEO da Atomic Agro.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!