Regiões em Minas têm cultivado frutas como a framboesa - Crédito: Emerson Gonçalves

Exóticas e nutritivas, as pequenas frutas de clima temperado têm ocupado um espaço cada vez maior na dieta dos brasileiros. Com clima e logística de comercialização favoráveis, diversos municípios do Sul de Minas e da Serra da Mantiqueira têm potencial para o cultivo de espécies como amora-preta, framboesa, morango, mirtilo e fisális, dentre outras.

Quando comparada a outras frutas, a produção ainda é pequena. Trabalhos conduzidos pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) em Maria da Fé têm incentivado o cultivo dessas frutas por meio de orientações sobre tratos culturais e cuidados pós-colheita. A cultura é uma boa opção de renda para pequenos produtores, por meio de práticas agroecológicas e orgânicas.

Conhecidas como berries, essas frutas destacam-se no mercado pelas propriedades nutracêuticas e também por serem consideradas antioxidantes. “A divulgação dos benefícios do consumo das pequenas frutas para a saúde faz aumentar a procura por parte do público”, afirma o pesquisador da Epamig Emerson Gonçalves. A produção abastece os mercados consumidores de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro com frutas in natura, congeladas e para a produção de geleias e doces.

O manejo das plantas não é muito complexo. “A amora-preta é bem rústica e quase não apresenta problemas fitossanitários. Já a framboesa e o morango são culturas que requerem mais atenção”, avalia Emerson Gonçalves.

Outro ponto a ser observado é a exigência hídrica das plantas, que são muito sensíveis à falta de água, mas não se adaptam bem em solos encharcados. Por serem bastante frágeis, essas frutas requerem cuidados especiais na pós-colheita e no armazenamento. (Com informações da Epamig)