COTAÇÃO DE 07/12/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6180

VENDA: R$5,6180

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6500

VENDA: R$5,7830

EURO

COMPRA: R$6,3427

VENDA: R$6,3451

OURO NY

U$1.784,35

OURO BM&F (g)

R$323,23 (g)

BOVESPA

+0,65

POUPANÇA

0,5154%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Agronegócio

Consumo de etanol registra queda de 31,4% em Minas

COMPARTILHE

Os preços pagos aos usineiros tiveram recuperação em maio, com alta de 10% | Crédito: Paulo Whitaker/Reuters

O isolamento social para o controle do novo coronavírus impactou de forma negativa a demanda por etanol hidratado em abril. Em Minas Gerais, de acordo com os dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), no quarto mês, foi verificada retração de 31,4% no consumo frente igual período de 2019.

No acumulado do primeiro quadrimestre, a queda na demanda pelo biocombustível é de 11,8%.

PUBLICIDADE

Para maio, ainda é esperado um consumo menor, porém, a queda deve ser inferior à registrada em abril. A retomada da competitividade dos preços do etanol frente à gasolina e a reabertura gradual de parte das atividades econômicas irão contribuir para que a demanda mostre recuperação, ainda que em pequena escala.

Uma retomada melhor, caso não ocorra algum imprevisto, é projetada para junho.

De acordo com os dados da ANP, em Minas Gerais, ao longo de abril, foram comercializados 169 milhões de litros de etanol, volume 31,4% inferior aos 246,5 milhões de litros registrados em abril de 2019. No acumulado do ano, a venda do biocombustível alcançou 865,16 milhões de litros.

Surpresa – Para o presidente da Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais (Siamig), Mário Campos, o setor, a princípio, esperava por uma retração no volume maior que a registrada.

Com as medidas de isolamento impostas para a contenção do novo coronavírus, que reduziram a demanda pelos combustíveis, as informações repassadas, inicialmente, pelas distribuidoras e postos de combustíveis era de uma queda entre 50% e 70% no volume de consumo, variando conforme o tamanho e a localização das cidades.

“O mercado de combustíveis, como um todo, ele teve retração em relação ao ano passado. Em Minas Gerais, somando etanol e gasolina (ciclo otto) a queda foi de 15,6% em março e de 29,3% em abril na comparação com iguais meses de 2019. No acumulado do ano, o ciclo otto está caindo 10,4%. As quedas, obviamente, impressionam, mas, frente aos números estimados inicialmente, ela foi surpreendente. Pelas saídas do etanol nas usinas, a gente já começava a ver que a queda de 50% a 70% não era real”, destacou.

Para maio, a tendência é de um cenário próximo ao vivenciado em abril. A estimativa para o mercado do etanol hidratado, em Minas Gerais, é de uma retração entre 25% e 30% sobre o ano passado.

“Para maio, esperamos uma queda pouco menor que a registrada em abril, mas ainda persistente. Acho que, em junho, haverá uma recuperação melhor, se não tivermos nenhuma surpresa. Já estamos vendo um fluxo maior de carros nas ruas, e a retomada gradual das atividades econômicas será importante para a recuperação de parte das vendas de combustíveis”, afirmou.

Desde maio, os preços do etanol estão em recuperação. No acumulado do mês, houve um avanço de 10% nos preços recebidos pelo produto, que chegou ao último dia de maio cotado a R$ 1,53 por litro. Mesmo com a recuperação, o valor médio registrado em maio, R$ 1,44 por litro, ainda está 13% inferior ao praticado em maio de 2019, quando a média ficou em R$ 1,65.

“Por enquanto, os preços do etanol estão em recuperação e se mantendo competitivos frente aos da gasolina, que também registrou alta. No momento atual, os players de mercado estão em busca de um equilíbrio entre o que será ofertado de etanol, a curva de retorno da economia e o que será demandado. Estamos acompanhando de perto os preços internacionais da gasolina e do câmbio, o que também interfere no mercado do etanol”, explicou.

#abasteçacometanol – Para estimular o consumo do biocombustível, a Siamig, em conjunto com diversas entidades nacionais, estaduais e municipais, está fazendo uma campanha de conscientização da importância do etanol na economia do Estado. Além de ser um combustível renovável, o uso do etanol é um estímulo à produção local, que gera riquezas no Estado, contribuindo para a criação e manutenção dos empregos, renda e arrecadação.

“A campanha #abasteçacometanol é importante para promover a valorização dos produtos nacionais frente aos importados. Também ressalta a importância de buscar a recuperação das nossas indústrias seja em âmbito nacional ou estadual. Além disso, queremos focar no consumo local e incentivar o que é produzido na região. Minas Gerais não produz petróleo nem gás natural, mas temos a cana-de-açúcar, que é capaz de produzir açúcar, etanol e energia elétrica”, disse Campos.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!