COTAÇÃO DE 03-12-2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6790

VENDA: R$5,6800

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,7000

VENDA: R$5,8300

EURO

COMPRA: R$6,3643

VENDA: R$6,3655

OURO NY

U$1.784,10

OURO BM&F (g)

R$321,33 (g)

BOVESPA

+0,58

POUPANÇA

0,4739%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Agronegócio

Declarações de produtores mineiros superam expectativa

COMPARTILHE

Crédito: Divulgação

O vazio sanitário da soja segue até 15 de setembro em Minas Gerais. O comprometimento do setor produtivo durante a medida está sendo fundamental para o sucesso do manejo.

O produtor de soja do Estado comunicou ao Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), vinculado à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), a situação fitossanitária de sua propriedade rural mediante preenchimento de questionário. Foram 813 declarações de conformidade, superando os 740 monitoramentos programados para serem realizados em 2020.

PUBLICIDADE

A iniciativa tem o objetivo de evitar a ocorrência do fungo Phakopsora pachyrhizi, causador da ferrugem asiática da soja, principal praga que acomete a cultura. O manejo impede danos à plantação e pode evitar perdas econômicas aos produtores. Por prevenção, o vazio sanitário é realizado antes do plantio do grão.

O gerente de Defesa Sanitária Vegetal do IMA, Nataniel Nogueira, avalia como positiva a participação dos produtores. “Essencial para o sucesso da atividade, o que demonstra o comprometimento deles com a defesa vegetal mineira, além de constatarmos que a parceria é benéfica tanto para o setor produtivo como para o poder público”, argumenta.

No período dos 77 dias do vazio sanitário, iniciado em 1º de julho, ao constatar a presença de planta voluntária de soja (guaxa) na propriedade, o produtor deve providenciar imediatamente a erradicação.

Ao declarar a conformidade do vazio enviando ao IMA o respectivo formulário, significa que o produtor se comprometeu a erradicar as plantas em sua propriedade. “Entendemos que o produtor é o único beneficiado com essa medida de caráter individual, mas de alcance coletivo. Cada um é fiscal do outro e pode denunciar aqueles que deixam as plantas guaxas se desenvolverem na propriedade e prejudicarem os vizinhos”, explica o gerente de Defesa Sanitária Vegetal.

O presidente da Associação dos Produtores de Soja, Milho, Sorgo e outros Grãos Agrícolas do Estado de Minas Gerais (Aprosoja Minas Gerais), Wesley Barbosa de Freitas, comenta sobre a participação dos produtores no manejo. “É de fundamental importância, pois o maior interessado pelo vazio sanitário é o produtor da soja. Não havendo o manejo, o maior prejudicado somos nós mesmos. E temos consciência disso”, ressalta Freitas.

Fiscalização remota – O vazio sanitário da soja ganhou o reforço da fiscalização remota. Diante da pandemia, o IMA tem se adaptado e aprimorado as atividades. Inicialmente, foi solicitado aos produtores o envio da declaração de conformidade contendo todas as informações necessárias para se fazer o monitoramento na modalidade remota. As fiscalizações presenciais não foram descartadas, uma vez que ainda podem ser realizadas mediante recebimento de denúncia.

 Soja em Minas – O IMA acompanha o atendimento às determinações do vazio sanitário principalmente nas regiões Noroeste, Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, que concentram o maior volume de produção da soja em Minas.

O vazio sanitário da soja foi instituído em 2007 no Estado e está normatizado pela Resolução Seapa nº 1.393/2015 e Portaria IMA nº 1.503/2015.

De acordo com dados da Seapa, a previsão é de que em 2020 o grão tenha safra recorde de 5,9 milhões de toneladas. Unaí, Paracatu, Buritis, Uberaba e Guarda-Mor são os principais municípios produtores. (Com informações do IMA)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!