Preconceito após tragédia traz perdas a produtores de hortaliças
Crédito: Liliane Bello

A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) avança no projeto de incentivo ao cultivo de hortaliças Panc em Santa Cruz de Minas, no Campo das Vertentes. O objetivo do projeto é gerar alimento e ocupação saudável para as pessoas, além de contribuir para o enfrentamento da pandemia de Covid-19.

A primeira ação foi realizada no mês de abril. Em junho, a pesquisadora da Epamig Izabel Cristina dos Santos realizou uma visita técnica à horta comunitária do município para dar continuidade ao projeto. Durante a visita, Izabel entregou dez mudas de tomate-de-árvore (Solanum betaceum) produzidas pela Epamig.

Na ocasião, Izabel fez demonstrações de como tirar mudas de caixinhas de leite sem destorroá-las. Além disso, a pesquisadora explicou a maneira correta de plantar as mudas.

“Para evitar aglomerações, fiz o encontro com quatro colaboradores da horta. Combinamos que, em um momento propício, eles farão uma visita a minha casa para ver como funciona uma horta em vasos, uma vez que ela pode ser adaptada para pequenos espaços”, afirmou Izabel.

Desde o início do projeto, a equipe da Epamig em São João del-Rei, responsável por preparar, embalar e distribuir kits com sementes, mudas e cartilhas, garante que todas as medidas são realizadas de acordo com as normas de prevenção adotadas pelo Comitê Extraordinário do governo de Minas em combate ao Covid-19.

Em setembro e outubro, serão distribuídas sementes mais propícias para plantio em períodos chuvosos, como araruta, azedinha, capuchinha, carás, feijão-mangalô, ora-pro-nóbis, taioba, tomate-de-árvore e outras.

Lavras – A pesquisadora da Epamig Aurinelza Condé leu as notícias sobre os incentivos ao cultivo de hortaliças Panc no Campo das Vertentes e ficou interessada no projeto.

Em conversa com os pesquisadores Izabel Santos e Cláudio Faccion, responsáveis por preparar os kits, Aurinelza se comprometeu a levar para os moradores da comunidade rural de Ityrapuan, no município de Lavras, amostras para propagação.

No total foram preparados dez kits com boletins, cartilhas e amostras de cravo amarelo (tagetes), feijão-mangalô (orelha-de-padre), vinagreira de folhas roxas, vinagreira de folhas verdes, almeirão-roxo e capiçoba (marianica).

“As pessoas que receberam os kits ficaram muito felizes e curiosas. Algumas espécies já eram conhecidas, outras não. O que me chamou atenção foi o interesse da população por palestras educativas. Assim que a pandemia passar, vamos pensar em algo”, destacou Aurinelza. (Com informações da Epamig)