COTAÇÃO DO DIA 22/01/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4780

VENDA: R$5,4790

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5070

VENDA: R$5,6470

EURO

COMPRA: R$6,6088

VENDA: R$6,6101

OURO NY

U$1.853,68

OURO BM&F (g)

R$ (g)

BOVESPA

-0,80

POUPANÇA

0,1159%%

OFERECIMENTO

Mercantil do Brasil - ADS

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Agronegócio
Página Inicial » Agronegócio » Agronegócio de MG deve ter queda de 0,98% no VBP

Agronegócio de MG deve ter queda de 0,98% no VBP

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Crédito: Jose Roberto Gomes/Reuters

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de Minas Gerais, para 2019, com base nos dados de maio, foi estimado em R$ 58,9 bilhões, retração de 0,98% frente aos R$ 59,5 bilhões registrados em 2018. A queda é justificada pelo desempenho negativo tanto na pecuária, que recuou 1,06% no período, quanto na agricultura, cuja estimativa aponta para uma retração de 0,95% este ano.

Importantes produtos como o café, soja, carne bovina e ovos apresentaram projeções negativas no VBP para 2019. Os dados foram divulgados, ontem, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Segundo o Mapa, da projeção do VBP estadual de R$ 58,9 bilhões para 2019, a agricultura responde por 64,17% do valor e a pecuária por 35,82%. A previsão é de um VBP de R$ 37,8 bilhões na agricultura, o que, se alcançado, representará uma retração de 0,95% frente a 2018, quando o faturamento das lavouras atingiu R$ 38,2 bilhões.

Cafeicultura – Um dos fatores que está contribuindo para a queda é a safra de café menor. Devido à bienalidade negativa do grão, que é o principal produto do agronegócio mineiro, a colheita deve ficar em 26,4 milhões de sacas de 60 quilos, volume 20,7% inferior ao registrado na safra passada. Por causa da safra menor, o VBP da produção total de café em 2019 foi estimado em R$ 10,9 bilhões, variação negativa de 25,15%.

No café arábica, o VBP deve alcançar R$ 10,8 bilhões, queda de 25,5%. Já para o café conilon, a previsão é de recuo de 9,7%, com o faturamento estimado em R$ 84,8 milhões.

Queda também é esperada no VBP da soja. No caso da oleaginosa, a tendência é encerrar o ano com retração de 16,2% e faturamento de R$ 5,9 bilhões. Neste ano-safra, a expectativa é colher 5 milhões de toneladas de soja, o que, se alcançado, ficará 8,5% menor.

O milho, outro importante item do agronegócio mineiro, deve apresentar faturamento de R$ 3,8 bilhões, variação negativa de 4,13%.

Alguns importantes produtos apresentaram variação positiva em maio. Na produção de cana-de-açúcar, por exemplo, o faturamento previsto para 2019 é de R$ 6,9 bilhões, 12,4% maior que os R$ 6,1 bilhões registrados no ano anterior.

Com demanda e produção em alta, o VBP do algodão herbáceo pode crescer 25,3%, com faturamento estimado em R$ 743 milhões. Outro produto que está com previsão positiva é a batata-inglesa, com alta de 146,9% e VBP estimado em R$ 3,1 bilhões.

Para o feijão, as expectativas também são favoráveis. A estimativa é de que o faturamento da cultura encerre 2019 em R$ 2,3 bilhões, alta de 138,6%. No caso da banana, o aumento esperado é de 21,5% e VBP em R$ 1,59 bilhão.

Pecuária – Assim como nas lavouras, a estimativa é de queda no faturamento bruto da pecuária de Minas Gerais em 2019. Com base nos dados de maio, a expectativa é encerrar o ano com VBP 1,06% inferior e receita de R$ 21,15 bilhões.

Entre os produtos, para a produção de frangos, a projeção é de um faturamento de R$ 4,5 bilhões, o que, se concretizado, será 12,5% maior. Já a receita prevista para a produção mineira de leite, R$ 8,9 bilhões, está 1,05% maior que os R$ 8,8 bilhões registrados no ano anterior.

Em ovos, a previsão é fechar 2019 com VBP em R$ 995,5 milhões, queda de 4,2%. No setor da pecuária, o faturamento de bovinos ficará praticamente estável, com pequena variação negativa de 0,37% e VBP estimado em R$ 6,6 bilhões.

Projeção para o País é de avanço de 1,4%

São Paulo – O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) do Brasil em 2019 foi estimado ontem em R$ 600,93 bilhões, ante R$ 597,8 bilhões na pesquisa divulgada em maio, com o setor pecuário e o milho e o algodão mostrando força, informou o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

A projeção aponta um crescimento de 1,4% na comparação com o ano anterior. Caso se confirme a previsão, o VBP ficaria próximo ao recorde alcançado em 2017, de R$ 604,16 bilhões (em termos reais), em uma série iniciada em 1989.

“O montante não deve ficar muito diferente até o fim do ano, uma vez que faltam apenas as culturas de inverno e o trigo para o fechamento”, disse em nota o coordenador-geral de Estudos e Análises da Secretaria de Política Agrícola do ministério, José Garcia Gasques.

A pecuária vem liderando o crescimento neste ano, com aumento real de 4,1%, para R$ 202,3 bilhões, “revelando recuperação da atividade” em meio a uma forte demanda na exportação, com a China elevando as compras enquanto lida com a peste suína africana.

O VBP das lavouras deverá se manter praticamente estável em relação ao ano passado, ficando em R$ 398,6 bilhões.

Destaques – “Há uma quantidade relativamente grande de produtos que vêm apresentando bom desempenho”, disse Gasques. “Mas os de maior destaque são algodão, amendoim, banana, batata inglesa, feijão, laranja, milho, tomate e trigo”.

Se entre os principais grãos produzidos pelo Brasil a soja registrou quebra de safra neste ano, a de milho deverá ser recorde de mais de 100 milhões de toneladas, segundo especialistas.

O bom resultado do VBP neste ano ocorre apesar de a soja, principal produto da pauta de exportação do Brasil, ter registrado redução anual da ordem de R$ 20 bilhões – ano passado a safra foi recorde e os preços foram elevados por uma forte demanda da China.

Na pecuária, o crescimento deve-se principalmente a bovinos, suínos e frangos. Entre esses, o destaque maior é do frango, com crescimento de 13% no valor da produção. (Reuters)

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

VEJA TAMBÉM

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!

FIQUE POR DENTRO DE TUDO !

Não saia antes de se cadastrar e receber nosso conteúdo por e-mail diariamente