COTAÇÃO DE 02-12-2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6600

VENDA: R$5,6600

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,8130

EURO

COMPRA: R$6,3753

VENDA: R$6,3783

OURO NY

U$1.768,55

OURO BM&F (g)

R$319,92 (g)

BOVESPA

0,4902

POUPANÇA

+3,66%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Agronegócio exclusivo

Megaleite é cancelada mas leilões virtuais devem ocorrer

COMPARTILHE

A Megaleite seria realizada em junho no Parque da Gameleira | Crédito: Divulgação

Com o aumento de casos confirmados do novo coronavírus no País, a Associação Brasileira dos Criadores de Girolando (Girolando) decidiu cancelar a Exposição Brasileira do Agronegócio do Leite (Megaleite), uma das principais do setor leiteiro da América Latina, que ocorreria entre 17 e 20 de junho, no Parque da Gameleira, em Belo Horizonte. Mesmo com o evento cancelado, a Girolando pretende fazer, de forma virtual, os leilões e também está estudando modos online de realizar as palestras e levar conhecimento aos produtores.

A previsão era de uma movimentação financeira variando de R$ 40 milhões a R$ 50 milhões com a realização da Megaleite. De acordo com o presidente da Girolando, Odilon de Rezende Barbosa e Filho, mesmo com o cancelamento da Megaleite, os produtores não ficarão desamparados. A entidade continua trabalhando para levar informações relevantes aos associados e nos programas de melhoramento e fortalecimento da raça Girolando.

PUBLICIDADE

A decisão de cancelar o evento e não adiar – como tem sido feito pelos organizadores de outras feiras e exposições, ocorreu para preservar o produtor rural, que investe para que os animais estejam no melhor momento no período da feira, que, normalmente, ocorre no fim de junho. Como não foi possível definir uma data correta – o que depende do controle do coronavírus e da liberação dos eventos -, a decisão pelo cancelamento foi considerada a mais acertada.

Além disso, o representante da Girolando ressalta que o Expominas, que é ao lado do Parque da Gameleira, está sendo usado como hospital de campanha e que seria sem sentido fazer um evento de negócios e também social próximo ao espaço, que tem estacionamento compartilhado. Dessa forma e pensando no associado e no criador, que investiriam nos animais sem ter definição de uma data, foi decidido pelo cancelamento.

“Nós, que trabalhamos com gado de leite, preparamos os animais para um momento ideal, que depende do momento gestacional e de lactação para estarem aptos. Como a data da Megaleite é sempre fixa no final de junho, os criadores planejam os cuidados com os animais para estarem em ótimas condições durante o evento. Como não temos previsão nenhuma do que vai acontecer, não temos a menor condição de adiar o evento para outubro ou novembro. Brinco dizendo que o evento foi adiado para 2021 e que, no ano que vem, teremos a melhor Megaleite da história”, destacou.

Com o cancelamento da edição, a Girolando irá apoiar os parceiros e organizadores dos leilões na divulgação de eventos, que poderão ser online. Alguns eventos que aconteceriam ao longo da feira, como a divulgação dos sumários de touros e vacas, também serão feitos pela Internet.

“Certamente, o cancelamento traz prejuízos para o setor que não são possíveis de calcular, mas parte pode ser compensada de várias formas. Muitos dos leilões previstos não deixarão de acontecer. Não terão o mesmo brilho que o presencial na Megaleite, mas podem ser feitos de forma virtual, acontecendo e gerando faturamento. Vamos tentar minimizar os impactos para os parceiros e os promotores de leilões apoiando na divulgação de eventos”, afirmou.

PMGG – Ainda segundo Barbosa e Filho, o segmento tem sido privilegiado uma vez que está em funcionamento e conseguindo manter o abastecimento das fazendas e escoando a produção, o que foi permitido pelas decisões ágeis dos governos, que garantiram o transporte de insumos e da produção. Ele ressalta ainda que, mesmo acatando o isolamento social e mantendo as atividades em home office, os serviços prestados pela entidades estão avançando.

“Estamos atuando em prol do fortalecimento do Programa de Melhoramento Genético da Raça Girolando (PMGG) e lançamos, na semana passada, um comunicado falando sobre a coleta do leite para aferir a qualidade do produto, avaliando os sólidos e contagem das células presentes no leite. A coleta começa dia 1º de maio e a Girolando vai custear 50% do custo do associado por um ano. Esse levantamento da qualidade do leite é importante e os resultados serão enviados à Embrapa, que fará a avaliação genômica da raça”, explicou.

Também será iniciado o processo de avaliação linear dos animais, que analisa as características morfológicas dos bovinos. A equipe que fará a avaliação já foi treinada.

“Tanto da avaliação da qualidade do leite como da estrutura física dos animais, informações que serão repassadas para a Embrapa fazer avaliação genética para definição do genoma do Girolando são fundamentais para o fortalecimento da raça”.

Mapa mantém vacinação da aftosa em maio

A primeira etapa da campanha nacional de vacinação contra febre aftosa será realizada de 1º a 31 de maio, para imunização de bovinos e bubalinos de todas as idades, para a maioria dos estados brasileiros, conforme o Calendário Nacional 2020.

Diante das preocupações com a ocorrência do novo coronavírus (Covid-19), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) emitiu orientações sobre procedimentos e cuidados para que a vacinação ocorra satisfatoriamente sem colocar em risco a saúde dos produtores rurais e dos servidores do serviço veterinário oficial.

“As vacinações serão mantidas, uma vez que se trata de atividade essencial e que há necessidade de manutenção dos compromissos com as zonas reconhecidas como livre de febre aftosa com vacinação perante à Organização Internacional de Saúde Animal (OIE), instituição que já havia recomendado a manutenção das vacinações dos animais com interesse econômico e em saúde pública no cenário de pandemia do Covid-19”, ressalta o diretor do Departamento de Saúde Animal da Secretaria de Defesa Agropecuária, Geraldo Moraes.

No entanto, não serão exigidas declarações de comprovação da vacinação que impliquem em comparecimento aos escritórios. A Divisão de Febre Aftosa (Difa) do ministério orienta que a comprovação da vacinação contra a doença deverá ser realizada, preferencialmente, por meio não presencial (sistemas informatizados, correio eletrônico ou outras soluções à distância).

Quando não houver alternativa ao alcance, a comunicação presencial poderá ser postergada para um prazo a ser pactuado entre todas as partes envolvidas com o Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (Pnefa) no estado ou no Distrito Federal.

Ainda de acordo com o calendário de 2020, a vacinação está ocorrendo desde o mês de março em algumas regiões do País, como é o caso do Rio Grande do Sul e de algumas áreas dos estados do Amazonas e do Pará. (Com informações do Mapa)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!