Cada unidade tem capacidade de processamento estimada em 70 toneladas de mel por ano | Crédito: Divulgação / Codevasf

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) instalou, no Norte de Minas, cinco unidades de extração de mel em contêineres, uma ação que deve impulsionar a apicultura na região.

As estruturas estão localizadas nos municípios de Pedras de Maria da Cruz, Bocaiuva, Guaraciama, Montes Claros e Francisco Sá e são equipadas com itens para extração do produto, como centrífuga, mesa desoperculadora e tanques decantadores. A capacidade de processamento de cada unidade está estimada em 70 toneladas de mel por ano.

José Dilson Durães, presidente da Associação dos Apicultores de Francisco Sá, é um dos 250 produtores beneficiados diretamente com esse projeto da Codevasf, que contou com investimento da ordem de R$ 345 mil. A gestão dos contêineres ficará a cargo das associações de apicultores dos municípios. “Agora, todo o mel extraído nessas unidades será de alta qualidade, em razão de podermos utilizar os equipamentos necessários com maior higienização durante a manipulação do produto”, aposta o produtor.

Alex Demier, chefe da Unidade de Desenvolvimento Territorial da 1ª Superintendência Regional da Codevasf, sediada em Montes Claros, explica que a instalação de contêineres para extração de mel pela companhia representa uma inovação. Segundo ele, caso haja viabilidade operacional, a intenção é que novos contêineres sejam instalados na região.

“Esse tipo de estrutura apresenta algumas vantagens em relação à construção em alvenaria. A primeira é o preço, que chega a ser 40% mais barato, e a segunda é que não depende de documentação e regularidade da área onde será implantada, o que não ocorre quando a Codevasf realiza uma obra, em que tais exigências são indispensáveis”, esclarece Demier. 

Melhor qualidade – Para o superintendente regional da Codevasf em Minas Gerais, Marco Câmara, as estruturas móveis poderão contribuir grandemente para o desenvolvimento da apicultura, uma atividade apropriada para o Semiárido norte-mineiro e com demanda crescente. “Poderemos atender a um maior número de apicultores, agregando valor ao seu produto final, já que será possível extrair o mel com a qualidade necessária para comercialização em mercados mais exigentes”, enfatiza.

Com uma produção de mel em torno de 14 toneladas por ano, o presidente da Associação dos Apicultores de Pedras de Maria da Cruz, Rui Gonçalves Pereira, comemora a instalação de um contêiner em seu município. “A apicultura se desenvolveu muito rápido na nossa região. Com essa ação da Codevasf, temos certeza de que novos produtores rurais vão se interessar pela atividade e, em breve, poderemos ter mais contêineres instalados aqui”, conclui.