COTAÇÃO DE 26/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,7610

VENDA: R$4,7610

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,8500

VENDA: R$4,9530

EURO

COMPRA: R$5,1433

VENDA: R$5,1459

OURO NY

U$1.850,86

OURO BM&F (g)

R$284,80 (g)

BOVESPA

+1,18

POUPANÇA

0,6719%

OFERECIMENTO

Agronegócio

Ceasa Minas registra queda de 1,9% na oferta

COMPARTILHE

Crédito: Alisson J. Silva

Em julho, a oferta de produtos na Centrais de Abastecimento de Minas Gerais (Ceasa Minas), unidade Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), alcançou cerca de 166 mil toneladas, movimentando a importância de R$ 417 milhões. O volume registrado no sétimo mês do ano ficou 1,9% inferior ao verificado em igual período de 2018 e 8,7% maior quando comparado com a oferta de junho.

A oferta de produtos do grupo de hortigranjeiros somou, em julho, 117,6 mil toneladas, o que representou uma alta de 5,7% frente a junho e queda de 5,3% quando comparado com julho de 2018. O grupo tem a maior participação na composição da oferta da Ceasa Minas, respondendo por 71% do volume ofertado.

PUBLICIDADE




Dentre os itens que compõem o grupo de hortigranjeiros, o volume de hortaliças ficou em 63,1 mil toneladas, variação positiva de 8,4% frente a junho e retração de 5,1% na comparação com julho do ano anterior. Ao todo, 260 municípios foram responsáveis pela oferta de produtos do grupo, com destaque para Carandaí, Iraí de Minas, Cristalina (Goiás) e Rio Paranaíba.

Nesse grupo, o destaque foi o repolho híbrido, cuja oferta somou 2,5 mil toneladas. Os preços ficaram 54,5% superiores aos de julho de 2018, porém recuaram 15% na comparação com junho. O quilo foi negociado, em média, a R$ 1,02.

O preço da couve-flor também ficou maior (31,3%) em julho, quando comparado com igual mês do ano passado. Mas, na relação com o mês anterior, foi verificada queda de 0,7%, com o quilo avaliado em R$ 1,47.

No subgrupo das hortaliças frutos, houve recuo de 10,6% na oferta em relação ao mesmo mês de 2018 e aumento de 0,6% ante junho. Ao todo, foram disponibilizadas 20 mil toneladas de produtos. Entre os itens, destaque para o tomate, cujos preços subiram 159,4% frente a julho de 2018 e caíram 5,3% na comparação com o mês anterior. O quilo do produto foi negociado a R$ 2,49.

PUBLICIDADE




O preço da moranga híbrida ficou em R$ 1,17, alta de 27,2% frente a julho anterior e valorização de 12,5% na comparação com o sexto mês do ano. A oferta chegou a 3 mil toneladas, alta de 10,2% e 14,9% ante julho de 2018 e junho último, respectivamente. Mesmo com a maior oferta, os preços foram impulsionados devido a grande demanda proveniente de outros mercados, como São Paulo, por exemplo.

No sétimo mês do ano, o preço do chuchu recuou 31,3% frente a julho do ano anterior e caiu 34,6% na comparação com junho. O quilo foi cotado a R$ 0,68.

Também integrante do grupo das Hortaliças, a oferta de hortaliças raiz, bulbo, tubérculo e rizoma somou 38,3 mil toneladas em julho, volume 13,7% maior que o registrado em junho. Dentre os produtos, destaque para a batata, cuja oferta aumentou 25,6%, na comparação com o mês anterior, e encerrou julho com 16,47 mil toneladas. Com maior volume disponível, os preços ficaram mais acessíveis ao consumidor. O quilo foi comercializado a R$ 2,07, retração de 6,8%.

Outro produto importante, a cebola teve a oferta de 6,9 mil toneladas em julho, alta de 7,8% na comparação com julho de 2018. O preço ficou em R$ 3 por quilo, alta de 35,1%.

Frutas – A oferta de Frutas no entreposto somou 47,5 mil toneladas em julho, volume que ficou 5,9% abaixo do registrado em julho de 2018 e 2,1% acima do alcançado em junho. As frutas ofertadas na Ceasa Minas são oriundas de 338 municípios brasileiros.

No grupo, o destaque foi a laranja pêra. O preço do quilo do produto encerrou julho 14,4% abaixo do registrado em igual mês de 2018 e estável em relação a junho, sendo negociado a R$ 1,07. A oferta chegou a 7,7 mil toneladas, superando em 11,6% a de julho anterior e em 18,9% a de junho.

O quilo da banana prata foi comercializado a R$ 1,76, aumento de 45,5% frente a julho de 2018 e queda de 14,6% frente ao mês anterior.

Em julho, a oferta de ovos ficou 1,6% menor que em julho de 2018 e apresentou variação positiva de 7,9% ante junho, somando 5,9 mil toneladas. O preço, R$ 3,22 por quilo, ficou 4,2% menor na comparação com junho.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!