COTAÇÃO DE 24/01/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,5030

VENDA: R$5,5030

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,4870

VENDA: R$5,6630

EURO

COMPRA: R$6,2080

VENDA: R$6,2103

OURO NY

U$1.842,90

OURO BM&F (g)

R$323,72 (g)

BOVESPA

-0,92

POUPANÇA

0,5845%%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Agronegócio
" "
Litro de leite foi negociado no último mês, referente à produção entregue em março, a R$ 1,48 - Crédito: Eduardo Seidl/Palácio Piratini

O preço do leite em Minas Gerais apresentou a quarta alta consecutiva em 2019. De acordo com dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), o valor médio líquido recebido pelo produtor foi de R$ 1,48 por litro. O montante ficou 0,7% maior em abril quando comparado com março.

O movimento de avanço observado no preço do leite perdeu ritmo em relação a março, quando foi registrada elevação de 5,05% nos valores recebidos pelos produtores. O menor ritmo de crescimento se deve às dificuldades das indústrias em repassarem para o consumidor final as valorizações registradas na compra da matéria-prima.

PUBLICIDADE




Segundo os pesquisadores do Cepea, mesmo com a dificuldade de repasse dos custos mais elevados para o varejo, para maio a tendência é de nova valorização. A alta será sustentada pela oferta ainda limitada de leite nas unidades produtoras.

A captação do leite segue menor em função da falta de chuvas, o que afeta a oferta de pastagem, e do comprometimento financeiro dos pecuaristas para investir na melhoria da alimentação do rebanho. No ano passado, devido aos preços baixos, os produtores acumularam diversos prejuízos, o que vem impactando na produção do leite.

Conforme o levantamento do Cepea, em Minas Gerais, o litro de leite foi negociado em abril, referente à produção entregue em março, a R$ 1,48, alta de apenas 0,7% na média líquida. No valor médio bruto, foi verificada elevação de 0,66%, com o litro de leite avaliado em R$ 1,59.

De acordo com os pesquisadores do Cepea, a alta dos valores vem sendo sustentada pela queda na captação do leite. O volume de leite produzido em Minas Gerais recuou 0,4% em março. Com a menor disponibilidade da matéria-prima, a concorrência entre os laticínios continua acirrada, o que também estimula o aumento dos valores recebidos pelos pecuaristas. Os laticínios, segundo o Cepea, têm buscado alternativas para a menor oferta de leite, reduzindo os estoques, por exemplo.




Média Brasil – Assim como em Minas Gerais, o aumento do leite também foi registrado na média Brasil, que é calculada conforme os valores apurados nos estados da Bahia, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Na média nacional, o valor pago ao produtor registrou o quarto crescimento consecutivo em abril, chegando a R$ 1,44 por litro, elevação de 0,92% no preço líquido.

No período, houve queda de 1,6% na captação do leite. Os pesquisadores do Cepea destacam que, em março, a menor captação do leite ocorreu em função da queda da oferta de pastagem. Influência das chuvas irregulares.

Em Minas Gerais, foi verificada elevação em todas as regiões pesquisadas. O destaque foi o Sul e Sudeste, onde o preço líquido chegou a R$ 1,57, na média. Alta de 3,72%. Na Zona da Mata, a elevação foi de 1,89% e o litro negociado, na média líquida, a R$ 1,46.

Na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), o preço do leite apresentou variação positiva de 0,54% e foi negociado a R$ 1,59, média líquida. No Vale do Rio Doce, a média líquida do leite ficou em R$ 1,49, alta de 0,47%. Também houve avanço no Triângulo, com o litro comercializado a R$ 1,68, preço 0,26% maior.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!