Cotação de 03/08/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,1920

VENDA: R$5,1930

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,1930

VENDA: R$5,3470

EURO

COMPRA: R$6,2205

VENDA: R$6,2217

OURO NY

U$1.810,36

OURO BM&F (g)

R$305,16 (g)

BOVESPA

+0,87

POUPANÇA

0,2446%%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Agronegócio

Preços globais dos alimentos atingem maior patamar desde 2014

COMPARTILHE

Óleos vegetais, carnes e laticínios lideraram a décima alta consecutiva do índice da FAO | Crédito: REUTERS/Nacho Doce

Roma – Os preços mundiais dos alimentos subiram pelo décimo mês consecutivo em março, atingindo seu nível mais alto desde junho de 2014, liderados por saltos nos índices de óleos vegetais, carnes e laticínios. O índice de preços dos alimentos da agência de alimentos da Organização para a Alimentação e Agricultura (FAO, na sigla em inglês), que mede as variações mensais de uma cesta de cereais, oleaginosas, laticínios, carnes e açúcar, teve média de 118,5 pontos no mês passado, contra 116,1 ligeiramente revisados em fevereiro. O número de fevereiro era anteriormente de 116,0.

A FAO, sediada em Roma, também disse em comunicado que as colheitas mundiais de cereais continuam em curso para atingir um recorde anual em 2020, acrescentando que as primeiras indicações apontam para um novo aumento na produção este ano.

PUBLICIDADE

O índice de preços de cereais da FAO caiu 1,7% mês a mês em março, encerrando oito meses de ganhos consecutivos, mas ainda 26,5% acima do mesmo período do mês passado.

Entre os principais cereais, os preços de exportação do trigo foram os que mais caíram, diminuindo 2,4% no mês, refletindo a boa oferta e perspectivas animadoras de produção para as safras de 2021, disse a FAO.

O índice de preços de óleo vegetal da FAO subiu 8,0% no mês para atingir seu nível mais alto desde junho de 2011, impulsionado pelos preços mais altos de óleos de palma, soja, colza e girassol.

O índice de carnes subiu 2,3%, mas, ao contrário de todos os outros índices, ainda apresentou leve queda na comparação anual. A organização disse que as cotações das carnes de aves e suínos aumentaram, sustentadas por um ritmo acelerado de importações por países asiáticos, principalmente a China.

A FAO elevou sua previsão para a safra de cereais de 2020 para 2,765 bilhões de toneladas, de uma estimativa anterior de 2,761 bilhões, apontando para um aumento de 2% ano a ano. Olhando para o futuro, a FAO disse que espera que a produção global de cereais aumente pelo terceiro ano consecutivo em 2021.

A produção global de trigo deve atingir um novo recorde de 785 milhões de toneladas este ano, 1,4% acima dos níveis de 2020, impulsionada por uma recuperação acentuada na maior parte da Europa e expectativas de uma colheita recorde na Índia. Produções acima da média também são esperadas para o milho, com uma previsão de safra recorde para o Brasil. (Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!