COTAÇÃO DE 05/03/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6825

VENDA: R$5,6835

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6670

VENDA: R$5,8430

EURO

COMPRA: R$6,7719

VENDA: R$6,7732

OURO NY

U$1.698,69

OURO BM&F (g)

R$310,22 (g)

BOVESPA

+2,23

POUPANÇA

0,1159%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Agronegócio

Produção mineira de café diminui 26,4%

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
O Estado colheu, na atual temporada, o equivalente a 24,55 milhões de sacas do grão - Crédito: Paulo Whitaker/Reuters

Com o encerramento da colheita, foi confirmada a queda de 26,4% na produção total de café, em Minas Gerais, na comparação com o ano anterior, quando a produção chegou a 33,3 milhões de sacas. De acordo com os dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Estado, que é o maior produtor do grão, colheu 24,55 milhões de sacas. A retração ocorreu em função da bienalidade negativa, das condições climáticas desfavoráveis e da maior incidência de pragas e doenças nas regiões produtoras.

Segundo a Conab, a produtividade dos cafezais mineiros recuou 24,5% na safra, com o rendimento médio estimado em 24,96 sacas por hectare. Na safra anterior, ciclo de produção positiva, a produtividade era de 33 sacas por hectare. Também houve queda na área, 2,5%, somando 983,7 mil hectares.

PUBLICIDADE

De uma produção total de 24,55 milhões de sacas, 24,23 milhões de sacas foram do café arábica, volume 26,5% menor. A produção estadual de café conilon retraiu 18,5% e somou 318,2 mil sacas.

Os pesquisadores da Conab destacam que, em Minas Gerais, um conjunto de fatores contribuiu para a redução da produção. Além da bienalidade negativa, o que já impactaria de forma negativa na produção, fatores climáticos como falta de chuvas, altas temperaturas, geada e granizo afetaram o desenvolvimento, a maturação e a qualidade dos grãos.

Regiões Principal região produtora de café, o Sul de Minas colheu 13,97 milhões de sacas, uma redução de 21,9% em relação ao ano passado. A área em produção, que ficou em 496,6 mil hectares, foi 3,4% inferior. A produtividade caiu 19,1%, com rendimento médio estimado em 28,15 sacas por hectare.

Na região do Cerrado Mineiro, foram destinados cerca de 185,7 mil hectares para a produção de café, espaço 1,8% inferior ao utilizado na temporada passada. Ao todo, foram 4,59 milhões de sacas de café colhidas, volume 35,7% menor. A produtividade média, 24,73 sacas por hectare, retraiu 34,5%. Os pesquisadores da Conab ressaltam que alguns municípios da região enfrentaram dificuldades no controle de ácaro vermelho e do bicho mineiro, impondo atenção redobrada ao produtor para não causar danos econômicos severos.

Na região da Zona da Mata, a colheita ocorreu em 276,5 mil hectares, redução de 0,8%. A produção de café chegou a 5,35 milhões de sacas, sinalizando redução de 29,2% em comparação a 2018. No período, foi observada queda de 28,6% na produtividade das lavouras cafeeiras, com a colheita de 19,36 sacas por hectare.

Os pesquisadores da Conab explicam que a diminuição se deve à bienalidade negativa em razão do acentuado desgaste fisiológico dos cafeeiros após duas safras de alta produção. Além disso, as variações climáticas durante o ciclo e a escassez de oferta e majoração expressiva dos preços dos fertilizantes prejudicaram a realização dos tratos culturais recomendados, colaborando para a redução do potencial produtivo.

Na região Norte de Minas, Jequitinhonha e Mucuri, a produção de café somou 628,7 mil sacas, redução de 17,6% em relação à safra anterior. O rendimento médio chegou a 25,25 sacas por hectare, volume 28,6% menor. A área em produção foi de 24,9 mil hectares, 5,7% menor.

País registra recuo de 20% na safra

São Paulo – A safra de café do Brasil em 2019 foi confirmada em 49,31 milhões de sacas de 60 quilos, disse ontem a estatal Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que, em setembro, havia estimado a produção em 48,99 milhões de sacas.

Os números representam queda de 20% na comparação com a safra de 2018, em redução que “se deve principalmente pela influência da bienalidade negativa do café arábica somada à diminuição da área destinada à produção”, apontou a Conab em relatório.

A produção de arábica foi fixada em 34,3 milhões de sacas, contra 34,47 milhões de sacas na previsão anterior, com redução de 27,8% na comparação anual. Já a safra de robusta alcançou 15 milhões de sacas colhidas, contra 14,52 milhões na projeção de setembro, com aumento de 5,9% em relação a 2018.

“Intempéries climáticas ocorridas em regiões de maior produção também prejudicaram o desenvolvimento das culturas”, acrescentou a estatal.

A área total cultivada chegou a 2,13 milhões de hectares, com redução total de 1,2% frente à última safra. Os números da Conab para 2019 são menores que as mais recentes projeções de consultorias independentes.

A Safras & Mercado revisou seu número para a produção do Brasil em 2019 na semana passada, para 57,05 milhões de sacas, de 58,9 milhões projetados em abril.

A Conab não divulgou previsões para a próxima safra do Brasil, quando o País voltará a um ano positivo em seu ciclo de produção. Muitos no mercado acreditam que 2020 marcará um novo recorde, devido à produção de áreas plantadas recentemente em Minas Gerais, principal Estado produtor. (Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

VEJA TAMBÉM

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!

FIQUE POR DENTRO DE TUDO !

Não saia antes de se cadastrar e receber nosso conteúdo por e-mail diariamente