COTAÇÃO DE 21-01-2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4550

VENDA: R$5,4550

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,4870

VENDA: R$5,6130

EURO

COMPRA: R$6,1717

VENDA: R$6,1729

OURO NY

U$1.829,52

OURO BM&F (g)

R$320,53 (g)

BOVESPA

-0,15

POUPANÇA

0,6107%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Agronegócio

Produtores no Norte do Estado obtêm Selo Arte para Queijo Minas Artesanal

COMPARTILHE

POR

" "
queijo
Crédito: Divulgação

A Queijaria Rubi, de Porteirinha, no Norte de Minas, já pode vender seus produtos para todo o Brasil. Os produtores de Queijo Minas Artesanal (QMA) Rubinei Santos Gomes e o marido Regino Rodrigues da Silva receberam oficialmente o selo de qualidade do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA).

O registro do Selo Arte do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento indica que o produto é de origem animal, 100% artesanal e preserva as características tradicionais, regionais e culturais. 

PUBLICIDADE




O processo para que a queijaria recebesse o certificado começou há três anos e, além do empenho dos produtores, contou com o apoio do Sebrae Minas e de outras instituições, como o Sistema Faemg/Senar/Inaes, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Porteirinha, Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Porteirinha (Aciport),  Emater, IMA, Unimontes, UFMG e Prefeitura de Porteirinha.

Rubinei, a primeira produtora de Queijo Minas Artesanal da região Norte a conseguir o registro, comemora a conquista.

“Estamos nos sentindo realizados. Após muito trabalho, capacitação e aprendizado é gratificante ver que tudo valeu a pena. Agora, podemos trabalhar com tudo legalizado e expandir nossas vendas para todo o Brasil. Que nossa conquista sirva de estímulo aos demais produtores da Serra Geral. Quanto mais gente produzindo, melhor para que possamos levar a marca da nossa região a outros estados”, enfatiza.

A produtora ressalta que o apoio do Sebrae Minas foi fundamental para a conquista do selo.




“O Sebrae esteve com a gente desde o início e nos mostrou que a certificação era possível. Proporcionou viagens técnicas, nas quais conhecemos o processo de outras regiões. Passamos a atuar de forma mais profissional e aprendemos a trabalhar uma mentalidade mais empreendedora, o que foi fundamental para essa conquista”, destaca. 

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!