Aliss011:Alho3 Alisson J. Silva Ceasaminas

Grande produtora de hortifrútis, a região mineira de São Gotardo terá um selo que atestará a qualidade e a origem dos produtos. Com o selo, além da segurança, os consumidores terão a oportunidade de conhecer a história e a forma de produção. O lançamento do Selo Origem e Qualidade será na terça-feira, 3 de dezembro, em Belo Horizonte. Dentre os produtos que serão comercializados com a certificação estão a cenoura, alho, batata e abacate. A região de São Gotardo inclui os municípios de São Gotardo, Campos Altos, Ibiá, Matutina, Rio Paranaíba e Tiros.

De acordo com a gerente-executiva do Conselho Regulador da Região de São Gotardo, Jussara Oliveira, a região é uma das grandes produtoras de hortifrútis do País. Segundo ela, a produção de cenoura gira em torno de 250 mil toneladas por ano, ocupando uma área de cultivo de 5 mil hectares.

A região é a maior produtora de alho roxo do Brasil, com área de cultivo de 3 mil hectares e produção de 45 mil  toneladas por ano. A produção de batatas chega a 100 mil toneladas por ano em uma área de cultivo de 2,5 mil hectares. O abacate produzido na região possui uma produção de 30 mil toneladas em 2 mil hectares de cultivo.

Também serão contemplados com o selo as produções de cebola, beterraba, repolho e blueberry. “Os hortifrútis da região de São Gotardo, que abastecem mercados de diferentes partes do País, já possuem um Certificado de Origem, que permite que os consumidores conheçam, além da origem do produto, a história do produtor e toda a história da região. O selo atesta a qualidade, originalidade dos nossos produtos e segurança alimentar para os consumidores”, explica.

Tendência – A analista de negócios do Sebrae Minas, Naiara Rodrigues Marra, afirma que o selo de origem é uma garantia de qualidade para o consumidor e promove a valorização da origem produtora.

“Os selos de origem são uma tendência. Na Europa e nos Estados Unidos, já são consolidados. Os consumidores se interessam cada vez mais por estes diferenciais e querem se aproximar do setor produtivo, conhecer como e onde são produzidos. O consumidor ao adquirir os hortifrútis da Região de São Gotardo, que serão identificados com o Selo de Origem, poderá, através de um QR Code, identificar o produtor, o processo de produção, a variedade e a história da região”, disse Naiara.

A analista do Sebrae explica que o objetivo do selo não é agregar valor, mas promover a região, mostrar o trabalho diferenciado dos produtores e evitar que produtos de outras regiões sejam comercializados como se fossem de São Gotardo.

“O produto já é diferenciado e, por isso, já tem preços mais valorizados no mercado. Para ser comercializado com o selo, os hortifrútis deverão atender a uma série de exigências, que priorizam a qualidade, o tamanho e os meios de produção. O selo vem para proteger, controlar e promover a região”, diz.

Inpi – Para proteger a produção, os representantes da Região de São Gotardo também ingressaram com pedido de reconhecimento de origem no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi).

Em Minas Gerais, o Selo Origem e Qualidade é utilizado na produção de café, mel, própolis e queijo canastra.