COTAÇÃO DE 15/01/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,3032

VENDA: R$5,3042

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3300

VENDA: R$5,4530

EURO

COMPRA: R$6,3735

VENDA: R$6,3752

OURO NY

U$1.825,72

OURO BM&F (g)

R$309,68 (g)

BOVESPA

+1,27

POUPANÇA

0,1159%

OFERECIMENTO

Mercantil do Brasil - ADS

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Agronegócio exclusivo

Safra mineira de grãos pode ter crescimento de 7,4%, diz a Conab

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
A produção de soja em MG deve subir 16% e atingir 5,88 milhões de toneladas | Crédito: Divulgação

A produção de grãos em Minas Gerais, na safra 2019/2020, deve alcançar 15,2 milhões de toneladas, volume 7,4% superior aos 14,2 milhões de toneladas registradas na safra anterior. Caso o montante se concretize, será o maior já produzido no Estado.

O destaque neste período produtivo é a soja, cuja produção prevista está 16% maior. Os dados são do 7º Levantamento da Safra de Grãos 2019/20, divulgado na quinta-feira (9) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

A estatal ressaltou que a pandemia de Covid-19 enfrentada pelo mundo não afetou o andamento da safra brasileira de grãos. Segundo o relatório, os agricultores seguem as atividades dentro da normalidade, com adoção dos cuidados recomendados pelo Ministério da Saúde e a Organização Mundial de Saúde (OMS), além de continuar com os tratos culturais, como adubação e aplicação de defensivos no período recomendado.

De acordo com os dados da Conab, a área plantada no Estado é de 3,55 milhões de hectares, expansão de 3%. A produtividade foi estimada em 4,2 toneladas por hectare, 4,3% maior quando comparado com o ano anterior. O clima mais favorável, com chuvas regulares, foi importante para o avanço na produtividade.

Os dados da Conab mostram que a produtividade da soja, em Minas Gerais, cresceu 10,6% e atingiu 3,56 toneladas por hectare. Com o aumento, a produção foi estimada em 5,88 milhões de toneladas, o que é um volume recorde para o Estado e representa um avanço de 16% sobre as 5,07 milhões de toneladas colhidas em 2018/19. A área em produção cresceu 4,8% e somou 1,6 milhão de hectares.

De acordo com o superintendente de Informações do Agronegócio da companhia, Cleverton Santana, o aumento se deve, principalmente, ao clima. “A colheita da soja está em fase final e, neste período produtivo, o clima foi bastante favorável e contribuiu para o aumento da produtividade”, explicou.

O milho, outro importante produto para Minas, deve alcançar uma produção total de 7,7 milhões de toneladas, o que equivale a um aumento de 2,3% frente à safra 2018/19. Na primeira safra do cereal, o Estado colheu 4,6 milhões de toneladas, volume 0,4% maior. A produtividade da cultura cresceu 4,1% e somou 6,39 toneladas por hectare. A elevação da produtividade foi importante para compensar a redução da área, que caiu 3,6% com o plantio ocupando 721,9 mil hectares.

Já na segunda safra de milho, que já está praticamente toda semeada, a área cresceu 10,6%, com o uso de 465,1 mil hectares. A produtividade esperada é de 6,64 toneladas por hectare, volume que tende a cair 4,8%. A previsão é colher 3 milhões de toneladas do cereal neste período, o que, se alcançado, será 5,3% maior que o registrado na segunda safra do ano anterior.

O diretor interino de Política Agrícola e Informações da Conab, Bruno Scalon, explica que o clima tem sido favorável para o desenvolvimento da segunda safra.
Além disso, o milho total nacional deve crescer 1,8% e somar 101 milhões de toneladas – o mercado do cereal segue favorável para o produtor e com a manutenção de preços firmes.

“O mercado do milho, com o aumento na estimativa da produção nacional, tem um cenário pouco menos complicado, mas com estoque de passagens menores e mantendo a situação de abastecimento de milho mais confortável para o produtor do que para demandantes”, disse Scalon.

Feijão – A produção total de feijão deve ficar praticamente estável no Estado, com pequena variação positiva de 0,6% na safra 2019/20. O levantamento da Conab aponta para uma produção de 545,6 mil toneladas.

Na primeira safra, Minas Gerais colheu 191,7 mil toneladas de feijão, volume 21,1% superior. A produtividade, 1,2 tonelada por hectare, aumentou 15,3%. A área em produção subiu 4,9%, com o plantio ocupando 157,4 mil hectares.

Na segunda safra, a área de plantio ficou menor, 9,8%, alcançando 37,8 mil hectares. A produtividade média caiu 4,4%, com rendimento estimado de 1,33 tonelada por hectare.

Com a queda da produtividade e a área menor, a produção no período deve recuar 13,8%, com a colheita estimada em 175 mil toneladas.

Para a terceira safra, cujo plantio ainda não foi iniciado, a estimativa preliminar é de uma queda próxima a 1,3% na produção, que deverá ser de 178,9 mil toneladas.
Queda também é esperada na produção de algodão em caroço. A previsão é colher 161 mil toneladas, volume 4,6% menor. N

este ano, a redução se deve à queda na área plantada, que recuou 9,9% com o uso de 37,8 mil hectares. Com clima favorável e investimentos em tecnologias, a produtividade média, 4,2 toneladas por hectare, cresceu 6%. A produção de algodão em pluma deve ficar em 64,4 mil toneladas, retração de 4,6% frente à safra anterior.

“O escoamento da safra ocorre a partir de julho, quando se inicia a colheita, e esperamos que o impacto provocado pelo coronavírus nas exportações seja menor em função do controle da pandemia. Já no mercado interno, há grande preocupação devido à desaceleração da economia em função do isolamento social”, explicou Bruno Scalon.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

VEJA TAMBÉM

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!